Programa Adoradores sem Limites

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Não temais…

Fobias, medo, temores e incertezas muitas vezes são os ingredientes quase fatais , para a destruição de nossa fé, fobia do grego “fobos” tem haver com fuga, quantas vezes não fugimos de fato porque estamos receosos? 

Pedro, talvez o mais destemido e inconsequente  dos doze apóstolos teve medo, e o seu medo o levou a negar Jesus três vezes, o mais corajoso dos doze, amedrontado diante dos terríveis acontecimentos, que agora estavam afligindo o Cristo. Quando vou meditando sobre este paradoxo na vida de Pedro, vou percebendo coisas que julgo importantes, a primeira delas é que a coragem de Pedro parece que estava ligada de alguma forma, ao “olhar para Jesus”, ao vê-lo por perto” tanto é que que andou sobre as ondas enquanto olhava firmemente para Cristo, porém começou a afundar quando olhou para as ondas! Nos eventos que seguiram a crucificação também foi assim. Na  presença de Cristo, Pedro cheio de coragem, enfrentou a guarnição que veio prender Jesus, não temeu  a multidão, e sacando da sua espada cortou a a orelha de Malco.

A fé e coragem de Pedro, ao meu ver só eram possíveis quando Pedro entendia que jesus estava com ele. Quando Jesus foi preso, porém, foi-se a fé de Pedro, acabou a sua coragem, e este agora com medo, nega o Cristo.

Pedro ainda, ao que me parece não tinha compreendido a verdadeira natureza de Cristo, não tinha ainda consciência, embora tivesse conhecimento, da realidade da sua ressureição.

E assim vou vendo a vida de Pedro, até o dia de Pentecostes, quando Cristo, mesmo tendo subido aos céus se faz presente através do Espirito Santo. Mas uma vez, vejo agora Pedro, cheio de coragem e fé, enfrentando multidões, testemunhando diante de autoridades, mesmo em prisões, açoites e cadeias.

Vejo nessa pequena parte da biografia de Pedro, um segredo para nossa fé: A certeza de que Jesus está conosco! Vejo também um ingrediente perigoso a nossa fé…a incerteza.

É preciso,  levarmos uma vida, mais perto de Deus, para que assim possamos sentir com mais proximidade o agir do Espirito Santo, pois é através desse agir que temos a convicção da real presença do Cristo em nosso meio.

Na primeira fase da vida de Pedro, ainda como um discípulo, sua coragem e fé vinham da presença física de Cristo com ele, era uma fé ainda imatura, baseada naquilo que se pode ver. Na segunda fase de sua vida, após o pentecostes, sua coragem e fé, vinham da certeza da presença de Cristo, uma presença invisível, mas, nem  por isso, menos poderosa, nem por isso, menos real, uma fé madura, certeza da coisas que que não se enxergam com olhos humanos, mas claramente podem ver através de olhos espirituais.

Fé para mim, não é apenas uma construção teológica, nem ao menos uma concepção filosófica da religião, nem muito menos um pensamento positivista. Fé é entender a realidade da presença de Cristo,ressuscitado, vivo e atuante no meio da Igreja, através do seu Espirito Santo.

 

Entendendo isso, podemos dizer… Não temerei…

 

“ Ainda que ei ande, pelo vale da sombra e da morte, não TEMEREI, porque TU SENHOR, estás COMIGO”

 

Rodrigues&Carvalho

 

acesse também: www.assembleiarpip.blogspot.com

Um comentário:

  1. " Estava comentando estes dias com meu esposo, sobre a necessidade que tenho de perder o medo em agir, sei que Deus está comigo porém o medo tem impedido as minhas decisões..." Preciso confiar mais em Deus..Amei a postagem. Jeane adoradora \O/

    ResponderExcluir

Não serão postados comentários de cunho ofensivo, e nem de ordem pessoal, peço aos leitores que se atenham somente ao assunto postado em questão. Rodryguez

A Provação e o Jejum "Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a prov...