Programa Adoradores sem Limites

sábado, 20 de abril de 2013

Alcançando a Santidade

“Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou Santo” Levítico 19.1

 

A  Santidade é algo imprescindível no relacionamento com Deus. Para se aproximar e permanecer na sua presença é necessário a santidade que convém a sua casa ( Salmo 93), não consumação do século no momento final da presente era, só permanecerá na presença do Deus Eterno aquele seguiu a santificação pessoal da sua vida (Hebreus 12.14) . Quando pensamos em santidade temos algumas ideias exteriores, baseadas em ritos, costumes e usos, se bem que bons costumes podem vir de uma vida de santidade, mas o costume exterior em si, não significa santificação.

Interessante a definição de santidade dada pelo Rabi Mosche Kepinski de Israel :

Santidade é um estado um momento, em que o individuo nunca se sentiu antes tão perto e próximo de Deus, compreendendo a sua infinitude  e eternidade, é também neste mesmo momento em que o individuo lança um olhar para si próprio entendendo a sua finitude e efemeridade perante o Deus eterno.” –

Sendo assim a Santidade é um equilíbrio entre a proximidade com Deus e o respeito que lhe é devido. Somente que se aproxima o suficiente Dele, pode sentir um misto de amor e temor, como Isaque no Moriah, que viu o quanto seu Pai Abraão amava e temia a Deus, não é a toa que Jacó se referente a Deus agora como o “Temor de meu pai Isaque”. Genesis 31.42 -  Quanto mais o ser humano se aproximar de Deus, muito mais sua relação de amor e temor aumentará, tal como o profeta Isaías no cap. 6 do livro do profeta, a informação que temos ali foi que Isaias viu Deus em uma das expressões da Gloria, foi um momento de proximidade, que gerou um temor desmedido: “Ai de mim” mas ao final também gerou um relação de amor e voluntariado: “Eis aqui envia-me a mim”

O livro de Levítico, é o livro que contém as normas e preceitos de como os sacerdotes filhos de Levi deveriam se portar e ministrar em santidade ao Senhor, é nesse livro que entendemos que a proximidade como falado a cima tem que vir acompanhada de um respeito e temor, afinal estamos falando de Deus, o soberano de todo o universo, os filhos de Arão, Nadabe e Abiu, estavam muito próximos em sua ministrações e vocação sacerdotal de Deus, mas mesmo assim morreram por oferecerem um fogo estranho diante de Deus. ( levítico cap. 10) , há muitas interpretações sobre este fogo estranho, alguns interpretes acreditam que o fogo não foi tirado do altar como a lei prescrevia ( Lv 16.12) outros ainda que o incenso não fora preparado da forma correta, mas um fato passa desapercebido aqui, a palavra estranho neste texto em hebraico é zar.  que sempre se refere a pessoas e não à coisas, logo posso entender que o maior problema aqui foi que Deus não viu legitimidade nas ações de Nadabe e Abiu e os tratou como estranhos na sua presença. Fica ai uma advertência para nós pois na consumação dos séculos muitos serão tidos como estranhos, quando ouvirem atônitos a sentença: “ Não vos conheço”. A bíblia não fornece outras informações mas podemos entender que Nadabe e seu Irmão Abiu estavam em desacordo com Deus, um desacordo interior coisa que o homem não vê mas Deus vê.

Nadabe e Abiu estavam próximos de Deus na infinitude, da eternidade e majestade sem fim, mas não entenderam o outro lado do Temor que lhe é devido. – Vivemos dias em que as pessoas também não entendem isso, cantam, louvam, testemunham da boca para fora, mas nas suas ações do dia a dia estão moldadas pelas formas do mundo, estão acomodadas ao “status quo”, do pecado na era da modernidade e pensam que podem levar as suas vidas das formas que bem quiserem. – A frase típica dessa geração é : “ O que importa é ser feliz!” – E em nome dessa falsa felicidade casamentos tem sido destruídos, caminhos tortuosos tem sido traçados, porém é preciso voltar e entender que antes da felicidade vem o temor a Deus. Arão diante da tragédia que se abateu sobre seu filhos fez silencio, pois temia a Deus, o silencio diante do inexplicável é melhor do que o pecar com os lábios contra a santidade de Deus.

Deus ainda é o fogo consumidor (Deuteronômio 4.24) podemos ser purificados na sua presença se levarmos em conta o temor que lhe é devido ou podemos ser consumidos se formos negligentes.

No velho testamento temos momentos específicos datas e festas em que Deus mostrava o seu poder e caminhava entre o povo. No Novo teste manto somos convidados por Cristo a Sermos o templo do Espirito Santo, devendo muito mais andar em santidade e temor, Paulo na carta aos Coríntios diz que  o corpo agora é o templo, uma morada permanente do Espirito Santo, que arde em zelo pela sua morada, e nos adverte a buscar a santificação, por um motivo e principio fácil de entender: “Somos a morada de Deus” – a proximidade então é muito maior pois não é mais de fora para dentro, passando pelos ritos do átrio exterior, interior, santo e santo dos santos. mas agora é de fora para para Dentro,. não é mais do mundo, da poeira do deserto para o templo em busca de uma proximidade santificação que santifica o participante dos ritos. è antes de dentro para para fora, uma santificação que começou em Cristo, que agora habita em nós na Trindade Divina, uma santificação que deve ser capaz de alterar, chocar e modificar pessoas e situações a nossa volta.

O rei Davi foi um home que apesar dos muitos erros, entendia princípios de adoração, louvor, temor e santidade, no Salmo 27.4 ele diz:

“Uma coisa pedi ao SENHOR, e a buscarei: que possa morar na casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR, e inquirir no seu templo.”

A traduzida ai por comtemplar, em hebraico “evake” significa visitar, surge uma questão ai a ser apreciada, questão esta proposta pelos mestres hassidicos do judaísmo: Se Davi pede para morar, porque também fala em visitar? Dos mestres hassidicos temos a seguindo interpretação “ Devemos morar na casa, presença de Deus, mas devemos ter sempre em mente o temor de um visitante.”

Vivemos aeração dos que proclamam o amor de Deus, pregamos o amor de Deus, mas nos esquecemos que o principio é temor.

Cristo nós deu a condição de uma vez remidos os nossos pecados pudéssemos estar diante do Deus, em novidade de vida, nos deu condição tomou o nosso lugar e sofreu o fogo consumidor de Deus em nosso lugar, mas se de agora em diante não tememos a Deus, fica a pergunta:

Hebreus 2.1-4

 

Portanto, convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas.  Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição,  Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;  Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade

 

 

 

Que o Deus de paz no santifique em Tudo!

 

Rodryguez & Carvalho

Um comentário:

  1. Estas são palavras de vida,palavras de salvação, palavras de transformação,palavras de encontro com Deus.palavras que ficarão guardadas em meu coração.Que Deus continue abençoando e capacitando.Jeane. Paz do Senhor Jesus

    Aquele que teme o Senhor possui uma fortaleza segura, refúgio para os seus filhos. O temor do Senhor é fonte de vida, e afasta das armadilhas da morte.
    Provérbios 14:26-27

    ResponderExcluir

Não serão postados comentários de cunho ofensivo, e nem de ordem pessoal, peço aos leitores que se atenham somente ao assunto postado em questão. Rodryguez

A Provação e o Jejum "Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a prov...