Programa Adoradores sem Limites

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O dinheiro que Deus não aceita!

Vivemos a época do Capitalismo Gospel, com toda sua teologia da prosperidade , onde uma barganha é proposta aos fieis, uma forma simples de prosperar exemplificado pela máxima “ Dê e Deus te devolverá”.

Antes de qualquer coisa gostaria de expor a minha opinião sobre o assunto, ao meu ver a oferta é um fruto de um coração temente a Deus em todos os seus aspectos que se exterioriza em diversas formas e também na forma de uma oferta financeira.

Creio embora alguns não vejam assim na atualidade e validade do dizimo para os Cristãos, mas é necessário notar que no contexto do livro do Profeta Malaquias, o dizimo foi a ultima coisa a ser questionada por Deus, em todo o livro temos as respostas de Deus aos questionamentos frios e desprovidos de fé da sociedade israelita de então, questionamentos que vão desde o amor de Deus, ( cap.1) passando pela crise ética no sacerdócio e enfim atingindo todo o povo, e o dizimo faz parte deste contexto, sendo assim vejo nesse contexto que o não pagamento do dizimo tinha uma origem e a origem era a uma descrença total em Deus e no seu cuidado com Israel. Enfim não adianta dar o dizimo e não cumprir os outros requisitos revelados no Livro do Profeta Malaquias.

Digo isso porque vejo uma crise em nossos dias, muito é falado sobre o dizimo mas muito pouco sobre a vida cristã em si, a vida cristã é um todo, lembremos que gálatas fala do FRUTO DO ESPIRITO e não dos FRUTOS ( plural ) .

Agora vou me atrever ir um pouco mais longe, digo atrever pois sei que alguns posicionamentos  podem não parecer populares, mas nem sempre as medidas populares são bíblicas. Tenho visto os desafios que algumas igrejas fazem aqui e ali, dizendo que com isso desafiam a fé das pessoas, desafiam as situações enfim tem gente desafiando o próprio Deus, ( será que vão ganhar?)  Não encontrei na bíblia em parte alguma algo parecido. NA construção do Tabernáculo os hebreus foram contribuindo de acordo com o seu coração, e a oferta foi tamanha que Moises disse que bastava, não precisava mais! Esses desafios de hoje nunca acabam e dificilmente vemos alguém dizendo que basta!   Enfim a  sanguessuga tem duas filhas…

Devemos semear é verdade mas quem pode estipular a semente? Paulo fala para que cada um contribua segundo propôs no seu coração ate porque Deus ama quem dá com alegria!  II Cor 9.7

Para encerrar tem ofertas que Deus não aceita e que as dá é tolo!

  • Não aceitou a oferta de Caim porque havia maldade no seu coração! ( Gn 4.3)
  • Não aceita oferta de dinheiro sujo! Dt 23.18
  • Não Aceita oferta de quem está brigado com seu irmão! ( Xi…. ) Mateus 5.23 – Alias que não se reconcilia com seu irmão corre o risco de ao invés de ter sua oferta aceita e ser abençoado fica na qualidade de devedor e ter que pagar até o ultimo centavo!

Que a nossa oferta seja o fruto da eterna gratidão, expressão de uma vida que anda consoante a revelação da novidade de vida do Evangelho!

Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. Lucas 6.38

 

Resumindo: Honremos ao Senhor com nossas ofertas e dizimos, mas tenhamos o nosso coração bem proximo dele!

Rodryguez & Carvalho

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Um forasteiro com uma Mensagem Real.

Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma; I Pedro 2.11

 

De repente relembro de alguns hinos antigos, hinos que marcaram a minha vida, e junto com a doutrina que aprendi trabalharam em conjunto para formar quem sou hoje. Tem um hino que já era antigo quando era criança lá pelos idos dos anos 70, alias nesta data o hino “ Sou forasteiro aqui” de autoria conjunta do poeta Elijah Taylor Cassel e sua esposa a musicista Flora Hamilton Cassel, já esta contava com seus 63 anos desde que sua letra foi feita em 1907, e hoje já conta 107 anos! Os modismo costumam passar, mas as letras inspiradas com as verdades bíblicas ainda continuam a tocar alma de quem os escuta e a provocar em nós reações que no fazem pensar diretamente em nossa vida espiritual, o que dizer então do hino “ Castelo Forte” de Martinho Lutero, com seus mais de 500 anos ainda transmite aos seus ouvintes as mesmas verdades.

Voltando ao cântico “Sou forasteiro aqui”  o autor de baseou  em II Coríntios 5:19-20, onde Paulo fala sobre o ministério da reconciliação do ele e todo o Cristão foi feito por Deus um embaixador!

Sempre que canto ou escuto esse hino fico a pensar na nossa real missão e posição em relação a este mundo, estamos vivendo tempos em que muitos já de longe perderam a visão do céu, e foram se conformando com este mundo, tomando a sua forma e agindo de acordo com seus padrões ( Rm 12.2) A Igreja essa embaixadora de Cristo na Terra muitas vezes esquece a sua real missão sua Mensagem Real, e vai cedendo aqui e ali, procurando se estabelecer cada vez mais com uma instituição deste mundo, ligada as questões destes mundo interagindo com este mundo, preocupada com demais com as causas terrenas e esquecendo-se da sua verdadeira missão, não que não devemos procurar o bem deste mundo em que vivemos, mas não podemos nos esquecer da nossa missão.

Os patriarcas, ( Abraão, Isaque e Jacó) embora profetas de Deus para seu tempo, confessaram que eram peregrinos e forasteiros ( Heb. 11.13)  . Ora um forasteiro entre nós sempre será passível de ser identificado com alguém de costumes estranhos, de outra forma de pensar, de outra forma de agi, alguém muitas vezes não compreendido corretamente.

Uma questão de nosso tempo é que vivemos a época do politicamente correto ao extremo onde ser diferente, e pensar diferente não é visto com bons olhos, parece que o tempo todo temos estar nos policiando e também de certa forma somos policiados, e nessa falsa concepção da verdade, na verdade é o pecado que tem nivelado a a raça humana, onde todos estão sendo convidados a serem “iguais” em seus erros e suas imaginações e onde o diferente tem sido advertido a continuar de boca fechada, pensando apenas consigo mesmo, pois estamos caminhando para um ditadura intelectual onde pensar pode, mas falar não!  Assim muitos forasteiros ( Cristãos) tem sido tentados a trocar a sua cidadania celeste pela terrena e abrir mão da sua investidura como Embaixador pelo mera posição de um cidadão comum neste mundo!

O Cristão não pode ser alguém que despreza o mundo mas deve saber que o mundo não é sua morada permanente é antes de tudo uma fase, uma etapa nesse caminho.

Enquanto existir esse mundo e enquanto nos estivermos nele devemos manter nossa posição, rejeitando a cidadania deste mundo, denunciando o pecado, anunciando a reconciliação. Vivendo a nobreza de nosso chamado com embaixadores e sempre tendo em mente que a nossa verdadeira cidade está nos céus! Fl. 3.20

Somos forasteiros, estranhos a este mundo, com costumes e praticas muitas vezes mal entendidas, assim o seremos até a manifestação do que ainda haveremos de ser. Embora forasteiros smos embaixadores com uma Mensagem Real, a todos os que tem ouvido para ouvir!

Rodryguez e Carvalho