Programa Adoradores sem Limites

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

A casa do Oleiro

Sempre podemos tirar lições praticas da coisas materiais e aplica-las a vida espiritual.

Passei alguns dias no estado da Bahia, lá em uma localidade conhecida como Itanagé, fiz uma visita a uma indústria cerâmica que fabrica  tijolos e lajotas. O processo é interessante e vale a pena descreve-lo:

Primeiro a escolha do barro, que deve ter as características próprias, mais ai tem um segredo existem barros melhores que outros e quando o barro é muito bom, ele é usado para ser misturado com outro que não seja assim tão bom e os dois juntos chegam a perfeição do tijolo ou da lajota pretendidos, penso ser assim também na Igreja, onde cristãos muitos mais maduros são posto a lado de outros não tão maduros assim e nessa troca de características que chegamos a uma espécie de perfeição, pois depois de pronto só vemos mesmo é a perfeição! Assim na Igreja não há lugar para grupos particulares, antes Deus faz o milagre e a tudo mistura unindo as características e fazendo chegar a um ótimo resultado final, meditando nesse processo com o barro entendi que devemos auxiliar os mais imaturos, assim como somos auxiliados pelos mais sábios!

Em segundo é necessários tirar algumas pedras ou substancias que não pertencem ao barro e que prejudicam o resultado final. Nem preciso dizer que fiquei pensando como Deus nos peneira e retira os excessos da nossa vida, e ai reside um mistério, pois quando pensamos que estamos perdendo na verdade estamos ganhando!

Em Terceiro lugar, é feita a  mistura molhando a “massa”, que e a esta altura deixou de ser o barro duro e seco e passou a ser uma massa capaz de ser modelada, da forma pretendida. Pensei comigo…será que eu aguento ser misturado, molhado e modelado? Como sair de uma forma e se transformar em outra? Deus tem seus caminhos, ele é quem modela, então o meu dever é apenas confiar e saber que o processo é doloroso mas o resultado final é honroso!

Em Quarto lugar nessa minha simples observação, vi os tijolos ( aqui em São Paulo chamamos de tijolo baiano o pequeno e o grande de Baianão) já modelados, com toda uma beleza simétrica, digna de ser observada, mas enfim faltava ir para os fornos. Afim de que secassem e endurecessem, mais tem um segredo interessante que é a temperatura exata do forno, que não pode exceder, o segredo ai não esta no fogo em si, mas na exata temperatura se não me engano algo em torno dos 900 graus centigrados. Se a temperatura for maior que essa a obra se avaria, trinca, racha e fica inapropriada para o uso. Me veio a mente a passagem bíblica de ICor 10.13 que nos diz que não sofremos prova maior do que podemos suportar. Isso mostra a habilidade daquele que nos prova pois a intenção do oleiro não é quebrar a sua obra a expondo ao fogo antes é apenas fazer com ela se solidifique, alías você ja parou para pensar quanto peso esses tijolos aguentam depois de prontos? assim também é o Cristão nessa terra, se ´[e forte hoje é porque passou pelo fogo ontem!

Por fim vi vários tijolos, que ao saírem do forno eram reprovados e jogados fora, alias indaguei o gerente da cerâmica que por sinal é meu cunhado Aercio Carvalho se haveria uma possibilidade aproveitar os tijolos avariados, ele me disse que antes do fogo era só jogar para remodelagem, mas depois do processo do fogo se saírem errados não há mais concerto, prestam apenas para entulho.

Nesse momento fiquei feliz, e lá no meu intimo dei um glória a Deus, afinal estamos nas mãos de um sábio oleiro que não deixará de forma alguma que ao final do processo sua obra saia avariada!

Vou ficando na mão desse Oleiro Jesus Cristo, que ao final de todo o processo me apresentará ao como Igreja de forma santa e irrepreensível, sem mancha , ruga ou macula! Efésios 5.27

Rodryguez & Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão postados comentários de cunho ofensivo, e nem de ordem pessoal, peço aos leitores que se atenham somente ao assunto postado em questão. Rodryguez

A Provação e o Jejum "Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a prov...