segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Resoluções de ano novo

Brinquei hoje, com uma amiga do meu trabalho, porém logo me dei conta da seriedade. Estava falando com ela sobre as resoluções de ano, claro que era uma brincadeira. Mas a verdade é que, temos quase os 360 dias do ano para realizarmos a mudança, não a fazemos, o que nos leva a crer que a faremos nos próximos 360?

Ano novo, vida nova, ano novo que logo fica velho ( depois do carnaval, rs) e vida que sem Cristo nunca será nova e não importa quantos anos novos e resoluções venhamos a fazer, sem Cristo, vida velha.  

Fiquei assim a tarde pensando comigo mesmo: “O que esperar do próximo ano?”

Me lembrei das tradições hebraicas, infelizmente a tanto esquecidas de nós Cristãos, que querendo ou não somos herdeiros indiretos das tradições hebraicas, e cremos naquele que nasceu e viveu como um Judeu.

Nestas tradições a cada rosh hashanah ( lit. cabeça de ano) ou ano novo, os judeus celebram entre si e dizem: “o próximo ano em Jerusalém” isto vem a ser muito mais do que um simples ritual, é a crença total nas profecias do velho testamento que falam da reedificação da cidade de Jerusalém, e no governo do Massiah ( Messias)

Outro fato interessante, é que o ano judeu, passou a ter como principio de contagem o mês da saída do povo de Israel da terra do Egito, e no pôs exilio passou a ter como esperança no próximo ano. a manifestação do Messias e o restabelecimento de Jerusalém.

Certa vez, conehci um ex-presidiário que começou a contar a sua idade, a partir do momento da sua soltura, lá esta ele com seus 60 anos e dizia ter apenas 28, sorria mas ele levava a serio este conceito de nova vida.

Nós tambem, se pensarmos bem, passamos por um processo de morte e vida, porquequem esta em Cristo nova criatura é, e tudo agora é novo! Cabe aqui uma brincadeira reflexiva: “Qual é mesmo a sua idade?”

Mas voltando ao próximo ano, o que esperar? – Como Cristão, espero a volta de Cristo, a manifestação do seu reino! Cada passagem de ano deve ser para nós um despertar escatológico tendo em vista a realidade da volta de Cristo, cada passagem de ano deve ser um momento de reafirmamos a nossa condição em Cristo e nossa esperança, como diz o hino 300 da harpa Cristã, que é a sua vinda!

Mas essa realidade escatológica, da nossa fé não pode ser apenas depois do carnaval, nem apenas somente nas proximidades de fim de um e começo de outro ano.

Tive oportunidade na minha vida, como Cristão de conviver de perto com alguns judeus, messiânicos ou não. Não sou legalista, mas creio que há muitas coisas que ignoramos.

Infelizmente perdemos as raízes judaicas e adquirimos raízes pagãs, papai Noel e coelhinho da pascoa, para os antigos e festas juninas e baladas gospel para os mais novos!

Mas mesmo o nosso calendário sendo diferente na forma de contagem do usado em Israel, acho que podemos extrair uma grande lição e significado desta frase.

“O ano que vem em Jerusalém”

Podemos também completa-la com as palavras de Paulo, no aramaico, idioma franco da Palestina “maran atah” ou seja “ O senhor vem, ou está vindo”

Ainda como Paulo podemos fundir essas expressão com a nossa linguagem comum, o portugues ( paulo usou o grego ) trazendo esses conceitos de fé, tão poderosos para nossa realidade.

Maranata, Ora vem Senhor Jesus.

 

Rodryguez&Carvalho

acesse também: www.assembleiarpip.blogspot.com

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Não temais…

Fobias, medo, temores e incertezas muitas vezes são os ingredientes quase fatais , para a destruição de nossa fé, fobia do grego “fobos” tem haver com fuga, quantas vezes não fugimos de fato porque estamos receosos? 

Pedro, talvez o mais destemido e inconsequente  dos doze apóstolos teve medo, e o seu medo o levou a negar Jesus três vezes, o mais corajoso dos doze, amedrontado diante dos terríveis acontecimentos, que agora estavam afligindo o Cristo. Quando vou meditando sobre este paradoxo na vida de Pedro, vou percebendo coisas que julgo importantes, a primeira delas é que a coragem de Pedro parece que estava ligada de alguma forma, ao “olhar para Jesus”, ao vê-lo por perto” tanto é que que andou sobre as ondas enquanto olhava firmemente para Cristo, porém começou a afundar quando olhou para as ondas! Nos eventos que seguiram a crucificação também foi assim. Na  presença de Cristo, Pedro cheio de coragem, enfrentou a guarnição que veio prender Jesus, não temeu  a multidão, e sacando da sua espada cortou a a orelha de Malco.

A fé e coragem de Pedro, ao meu ver só eram possíveis quando Pedro entendia que jesus estava com ele. Quando Jesus foi preso, porém, foi-se a fé de Pedro, acabou a sua coragem, e este agora com medo, nega o Cristo.

Pedro ainda, ao que me parece não tinha compreendido a verdadeira natureza de Cristo, não tinha ainda consciência, embora tivesse conhecimento, da realidade da sua ressureição.

E assim vou vendo a vida de Pedro, até o dia de Pentecostes, quando Cristo, mesmo tendo subido aos céus se faz presente através do Espirito Santo. Mas uma vez, vejo agora Pedro, cheio de coragem e fé, enfrentando multidões, testemunhando diante de autoridades, mesmo em prisões, açoites e cadeias.

Vejo nessa pequena parte da biografia de Pedro, um segredo para nossa fé: A certeza de que Jesus está conosco! Vejo também um ingrediente perigoso a nossa fé…a incerteza.

É preciso,  levarmos uma vida, mais perto de Deus, para que assim possamos sentir com mais proximidade o agir do Espirito Santo, pois é através desse agir que temos a convicção da real presença do Cristo em nosso meio.

Na primeira fase da vida de Pedro, ainda como um discípulo, sua coragem e fé vinham da presença física de Cristo com ele, era uma fé ainda imatura, baseada naquilo que se pode ver. Na segunda fase de sua vida, após o pentecostes, sua coragem e fé, vinham da certeza da presença de Cristo, uma presença invisível, mas, nem  por isso, menos poderosa, nem por isso, menos real, uma fé madura, certeza da coisas que que não se enxergam com olhos humanos, mas claramente podem ver através de olhos espirituais.

Fé para mim, não é apenas uma construção teológica, nem ao menos uma concepção filosófica da religião, nem muito menos um pensamento positivista. Fé é entender a realidade da presença de Cristo,ressuscitado, vivo e atuante no meio da Igreja, através do seu Espirito Santo.

 

Entendendo isso, podemos dizer… Não temerei…

 

“ Ainda que ei ande, pelo vale da sombra e da morte, não TEMEREI, porque TU SENHOR, estás COMIGO”

 

Rodrigues&Carvalho

 

acesse também: www.assembleiarpip.blogspot.com

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Sem Palavras….

 

Lei que proibia casamentos homossexuais em igrejas será revogada

A lei que proibia que homossexuais solicitassem uma cerimônia de casamento em igrejas na Inglaterra, será revogada no dia 05/12/2011, segundo informações do jornal Daily Mirror. Com isso, o Governo inglês afirma que a expectativa é de que por ano, 750 casais homossexuais troquem alianças em templos. O anúncio dessa medida foi feito pela Subsecretária para a Igualdade, Lynne Featherstone.

O Primeiro-Ministro inglês, David Cameron declarou que o matrimônio é um “valor dos conservadores”, e que acredita nos casamentos gays. A média de casamentos no país, entre heterossexuais é de 5.500 por ano.

A lei que permite a união entre pessoas do mesmo sexo está em vigor desde 2005 na Inglaterra e proporciona os mesmos direitos civis a esses casais, porém, proibia o uso de igrejas para as cerimônias de casamentos gays. Com a queda da proibição, as Igrejas não se tornam obrigadas a fazer as cerimônias, porém diversas Igrejas consideram a possibilidade de abrir as portas para que essas uniões sejam feitas nos templos.

A Igreja Católica e a Igreja Episcopal Anglicana da Inglaterra demonstram estar divididas sobre a questão, embora exista forte resistência de alguns líderes dessas igrejas. Segundo o Gospel Prime, em 2010, cinco Bispos Anglicanos divulgaram no jornal “The Times” uma Carta Aberta afirmando que os casais homossexuais não pudessem realizar suas cerimônias de casamento nas igrejas, uma vez que os direitos civis já eram garantidos.

Após a consagração em 2003 de um gay assumido ao posto de Bispo, a Igreja Anglicana vem promovendo debates intensamente sobre a questão da homossexualidade. Rowan Williams, maior liderança da Igreja Anglicana, recentemente concordou com a prática e anunciou novas medidas a respeito do assunto, que foram consideradas ousadas.

A Subsecretaria para a Igualdade afirmou que o “governo está avançando para oferecer a igualdade para os que pertencem a grupos homossexuais”. Lynne ressaltou que as igrejas não são obrigadas a nada: “nenhuma confissão religiosa é forçada a aceitar, mas agora existe a opção para aqueles que desejarem fazer isso. Trata-se de um marco importante”.

Os críticos da medida anunciada afirmam que o Primeiro-Ministro só irá revogar a lei porque seu mandato vem perdendo apoio de integrantes da comunidade gay inglesa.

Fonte: Gospel+

Maravilhosa Graça

 

Cada dia eu acordo e vejo em minha vida como são maravilhosas, as coisas que Deus vem realizando ao longo do tempo, no transcorrer dos acontecimentos. Penso comigo mesmo: “Quem poderei imaginar que cheguei até aqui?”  - Quem que tendo conhecido o velho homem, poderia imaginar uma transformação desta magnitude que ocorreu em minha vida? Muitos foram os percalços na caminho, muitas quedas, idas e vindas, muitas tentativas sem sucesso! Muito pecado, muitos erros, enfim de tudo o que há de negativo MUITO!

Muitas sentenças dadas, por aqueles que se julgam os “homens de Deus” – muitas sentenças dadas pelos homens deste século. Glória a Deus! Para cada sentença uma anulação, para cada julgamento uma defesa, daquele que por mim morreu. Para cada penalidade o Perdão, daquele que entregou no madeiro o seu único filho por amor de mim.

Não sei explicar esse mistério da graça divina, não sei nem ao menos descrever como que ele age e interage na minha vida, seu apenas que por este Amor fui atingido, e por ele sou mantido. 

Um dia pensei que sendo forte e agindo de forma meritória, alcançaria o favor do Senhor, mas fui justamente na minha maior fraqueza e no meu maior pecado que ele me alcançou. Pensava eu que o Rei do Universo o Senhor de toda a Terra, dada a sua Santidade, não entraria no antro de perdição e lixo em que eu um dia estive, mas para surpresa minha Ele entrou e me resgatou!

“Amazing Grace”! – como esse hino me faz sentido.

Olho para minha frente, e não sei ainda que caminhos trilharei, o que está preparado para mim na terra dos viventes, porém sei que no porvir tenho uma herança com Cristo, tendo meu nome arrolado no livro da vida.

Cristo é em mim a esperança da Glória!

 

 

 

Rodryguez&Carvalho

Questões Loucas!

"Não ir alem do que está escrito" I Corintios 4.6... De uns tempos para cá tenho notado nas pregações dos púlpitos...