terça-feira, 16 de julho de 2013

Diferente

Sou de uma época em que o cristão evangélico pentecostal  era de longe percebido, vivia a sua vida em separado das coisas do “mundo” vestia-se com pudor e procura ser o mais exemplar possível na sociedade que o cercava.

Era um povo que tinha identidade, costumes e um modo de ser que expressa o seu modo de pensar, se identificando como peregrinos e forasteiros neste mundo e aguardando com paciência e perseverança a volta de Cristo.

Claro que tínhamos os exageros em relação as nossas posições sobre usos e costumes, porém um ponto positivo dessa época na minha opinião e que éramos diferentes, gostávamos de ser diferentes, tínhamos prazer em ser diferentes e saber que o mundo nos olhava e percebia essa diferença.

A diferença não estava apenas nos usos e costumes, estes eram apenas um espelho do que realmente somos. Não estou aqui ser saudosista e nem defender qualquer uso e costume, porém não posso deixar de considerar as lições que aprendi durante esse tempo, lições que até hoje norteiam a minha vida.

Também na minha humilde opinião, creio que hoje vivemos o momento da conformação e da acomodação, ninguém mais quer ser diferente, até porque ser diferente e defender seu ponto de vista parece estar fora de moda, e falando em moda, todos querem andar de acordo com a última moda, com aquilo que todo mundo faz e gosta, para enfim parecer um alienado neste mundo?

As vezes me pego pensando no voto do nazireu, que loucura! Cabelos compridos, não tomava vinho e evita cerimonias fúnebres, de longe as pessoas em Israel sabiam identificar um nazireu, e sabiam que o nazireu vivia uma vida de exclusividade para com Deus, uma consagração absoluta!

As vezes penso nos profetas em suas vestes e jeito de ser, quem não reconheceria um? Penso nos cristãos com sua postura de fé diante do império de Roma, nem a morte nas arenas foi capaz de frear aqueles que alvoraçaram o mundo de sua época. Penso em Cristo um judeu comum que passava até desapercebido pelas multidões mas quando abria a sua boca falava com uma autoridade nunca vista antes.

Diferença, essa é a palavra chave!

Mas sei que essa diferença não pode ser regulada de forma normativa para todos os cristãos, porque para cada um Deus tem uma medida, e nos sabemos a nossa medida!  Porém na sua medida, na vocação na qual Deus te chamou, você tem feito a diferença?

Para terminar gostaria de dizer que, tenho visto que os cristãos mais liberais, que fazem quase tudo o que o mundo faz, que sentem prazer por este mundo como se não houvesse outro, quando passam por algum aperto ou tribulação sempre procuram aquele irmão ou irmã que julgam diferente, que de longe não querem imita-lo, mas que sabem que por algum motivo, neles o Espirito Santo ´[e mais operante! Já parou para pensar nisso? Não? então pense…

Rodrygues&Carvalho

A todos os diferentes que levam a sério a obra de Cristo e sabem que um verdadeiro Cristão é considerado um louco nesse mundo!

Nenhum comentário:

Chega!

São dois mil anos de história da Igreja, uma historia que começou por volta do ano 33, uma historia gloriosa, de lutas, perseguições, da...