terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Porque a Igreja de Jerusalem ficou pobre?

E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração. Atos 2.43-46

Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. Atos 4.34

 

A bíblia fala de dízímo, inventaram o “trizimo” a uns 15 anos atrás um controvertido pregador falou de um tal de “tudímo” –  Os textos acima de atos 2:43-46 e 4:34,  são sem duvida os mais usados para embasar o “trízimo” e o “tudímo” – partindo do principio usado pela “teologia da prosperidade” A Igreja primitiva de Jerusalem, deveria ser ao longo dos tempos a mais prospera. mas eu gostaria que você medtasse em outras passagem das escrituras:

Mas agora vou a Jerusalém para ministrar aos santos.Porque pareceu bem à macedônia e à Acaia fazerem uma coleta para os pobres dentre os santos que estão em Jerusalém. Romanos 15:25-26

Por algum motivo a Igreja de Jerusalém, a Igreja em que não havia necessitados, passou por dificuldades financeiras a ponto de precisarem receber ofertas das Igrejas da Acaia.

É precisado dar o devido trato ao texto sagrado, em primeiro lugar as pasagens de Atos dos Apostolos, não constituem uma doutrina, antes porém a narração de um fato. Outra questão que precisa ser observada, é  que havia nestes dias uma “febre escatologica” pois acreditava-se que volta de Cristo se daria por aqueles dias (Parousia), depois  as incertezas começaram a acontecer tanto em relação aos mortos em Cristo quanto a realidade da vinda, sendo este ensino da parousia, explicado de forma doutrinária por Paulo e por Pedro ( I tess 4:16 e II Pe 3:4-8). 

Alguns argumentam sobre Ananias e Safira, porém o pecado deles não foi o  de não ofertar e sim o de mentir ao Espirito Santo.

No estabelecimento do ensino doutrinário acerca das ofertas entre as Igrejas NeoTestamentárias nem ao mesmo se faz uso da palavra dízimo, muito embora ou seja completamento de acordo com os principios do dizimo de acordo com o velho testamento, porém não vejo citado no novo testamento para as igrejas gentilicas, a unica citação foi a de Jesus e isso para os mestres fariseus em Jerusalém.  - Paulo fala de ofertas, voluntarias, fala de dar com alegria e não por obrigação, diz que quem semeia com liberalidade com liberalidade colherá, mas lendo os textos, não chamaria de teologia da prosperidade e sim de “teologia da generosidade”

Em lugar algum das escrituaras  vemos algo como desafios, propositos etc, o apelo era para a generosidade ou para com a obra de Deus ou para com os necessitados, como no caso de Jerusalem. Foi assim nas ofertas para o tabernaculo, na construção do templo de Jerusalem, o mesmo padrão se repete na era apostolica – “Dar segundo propos no seu coração” e fazer isso com alegria.

Uma coisa engraçada que vejo hoje em dia, é nunca vi um destes pregadores da prosperidade, ministrando ofertas e dizendo que se alguem tem alguma coisa contra seu irmão primeiro se reconcilie com seu irmão, para poder ofertar, pois Deus não aceita oferta nessas condições!-

Devemos sim dar os nossos dizimos, muito embora os apostolos nada tenham falado para as igrejas gentilicas, traçamos um paralelo com malaquias 3.10 e entendemos a sua necessidade, no demais, a  oferta de acordo com o que  propomos em nosso coração.

Percebo que alguns pregadores não estão preocupados com essa verdade, antes querem impor, colocar e determinar como as pessoas devem sentir em seus corações, não é toa que junto com o ensino da teologia, tem um pacote de abusos doutrinários que acabam por escravizar o fiel e não por liberta-lo do jugo- Não toque no ungido, se ele falou é porque tem que ser assim é Deus….

Desafios, propositos etc, não constituem em si fé, não no sentido bíblico do termo, pois se os dizimos e ofertas descritos de forma bíblica, não forem o suficiente algo está errado, ir além é não acreditar nas escrituras e querer complementar, sendo esses o erro dos fariseus que sempre queriam ir um pouco além das prescrições da lei.

Voltando ao livro de Atos os cristãos estavam formando uma sociedade utopica, que acreditava na vinda de Cristo nos seus dias e por este motivo davam tudo e creio que pelo mesmo motivo alguns empobreceram e foram socorridos por outras igrejas em grande esforço financeiro. Mesmo assim é importante observar que se cumpriu a Teologia da Generosidade em Jerusalém, pois no aperto foram socorridos pelas Igrejas irmãs da europa, pois é dando que se recebe. Mas isso não envolve necessariamente dinheiro.

A bíblia não é feita de passagens isoladas e texto independentes, que podem ser manipulados, é antes um livro coeso, único, onde cada versículo e passagem vai se iterligando com outro. então antes de “engolir” uma visão de goela a baixo, procure saber como o assunto se processada em toda a escritura, e não em uma parte dela. Separe as narrações de episodios de uma lado  com a declaração de doutrina de outro este é um  de principio regulador para a clareza do tezto bíblico.

Oferte, dizime, sinta a alegria de ser cooperador na obra de Deus, ser você quiser fazer um voto financeiro faça, mas isso é entre você e Deus, e claro o cumpra – Deus lhe abrirá as janelas do céus como prometeu, apenas esteja atento pois nem tudo o que parece bíblico o é.

Rodryguez

5 comentários:

Erlon Andrade disse...

Com certeza em se tratando do texto biblico nem tudo aquilo que reluz é ouro!
Os textos e versículos biblicos são manipulados por pessoas inescrupulosas.
É necessário se buscar o conhecimento de Deus para poder se livrar dos lobos devoradores em pele de cordeiro.

Anônimo disse...

POSTAGEM INTERESSANTE E IMPORTANTE POIS AS VEZES PELA FALTA DE ESTUDO DAS SAGRADAS ESCRITURAS, ACABAMOS COMENDO O QUE NOS DÃO NA IGREJA SEM QUESTIONARMOS OU MASTIGARMOS ANTES DE ENGOLIR..POR ISSO ESTAMOS INCHANDO AO INVÉS DE ESTARMOS BEM NUTRIDOS...DEUS CONTINUE ABENÇOANDO RODRIGUEZ,QUE VC POSSA COMPARTILHAR CONOSCO SEMPRE! PAZ E GRAÇA...GÊ (JEANE)

Rodriguez disse...

È VERDADE jEANNE - COMIDA NÃO DIGERIDA FAZ MAL!!!

Anônimo disse...

PAZ DO SENHOR,ACREDITO Q EU TENHA ME EXPRESSADO MAL...O QUE DIZ DIZER COMO ALIMENTO É A PALAVRA... GÊ

Rodriguez disse...

eu entendi o que diz dizer! estou dizendo que mesmo o alimento espiritual que é a palavra quando nao digerido corretamente pode nos fazer mal, por isso não podemos ir simplesmente engolindo... abraços obrigado pelos comentários

Chega!

São dois mil anos de história da Igreja, uma historia que começou por volta do ano 33, uma historia gloriosa, de lutas, perseguições, da...