sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O dinheiro que Deus não aceita!

Vivemos a época do Capitalismo Gospel, com toda sua teologia da prosperidade , onde uma barganha é proposta aos fieis, uma forma simples de prosperar exemplificado pela máxima “ Dê e Deus te devolverá”.

Antes de qualquer coisa gostaria de expor a minha opinião sobre o assunto, ao meu ver a oferta é um fruto de um coração temente a Deus em todos os seus aspectos que se exterioriza em diversas formas e também na forma de uma oferta financeira.

Creio embora alguns não vejam assim na atualidade e validade do dizimo para os Cristãos, mas é necessário notar que no contexto do livro do Profeta Malaquias, o dizimo foi a ultima coisa a ser questionada por Deus, em todo o livro temos as respostas de Deus aos questionamentos frios e desprovidos de fé da sociedade israelita de então, questionamentos que vão desde o amor de Deus, ( cap.1) passando pela crise ética no sacerdócio e enfim atingindo todo o povo, e o dizimo faz parte deste contexto, sendo assim vejo nesse contexto que o não pagamento do dizimo tinha uma origem e a origem era a uma descrença total em Deus e no seu cuidado com Israel. Enfim não adianta dar o dizimo e não cumprir os outros requisitos revelados no Livro do Profeta Malaquias.

Digo isso porque vejo uma crise em nossos dias, muito é falado sobre o dizimo mas muito pouco sobre a vida cristã em si, a vida cristã é um todo, lembremos que gálatas fala do FRUTO DO ESPIRITO e não dos FRUTOS ( plural ) .

Agora vou me atrever ir um pouco mais longe, digo atrever pois sei que alguns posicionamentos  podem não parecer populares, mas nem sempre as medidas populares são bíblicas. Tenho visto os desafios que algumas igrejas fazem aqui e ali, dizendo que com isso desafiam a fé das pessoas, desafiam as situações enfim tem gente desafiando o próprio Deus, ( será que vão ganhar?)  Não encontrei na bíblia em parte alguma algo parecido. NA construção do Tabernáculo os hebreus foram contribuindo de acordo com o seu coração, e a oferta foi tamanha que Moises disse que bastava, não precisava mais! Esses desafios de hoje nunca acabam e dificilmente vemos alguém dizendo que basta!   Enfim a  sanguessuga tem duas filhas…

Devemos semear é verdade mas quem pode estipular a semente? Paulo fala para que cada um contribua segundo propôs no seu coração ate porque Deus ama quem dá com alegria!  II Cor 9.7

Para encerrar tem ofertas que Deus não aceita e que as dá é tolo!

  • Não aceitou a oferta de Caim porque havia maldade no seu coração! ( Gn 4.3)
  • Não aceita oferta de dinheiro sujo! Dt 23.18
  • Não Aceita oferta de quem está brigado com seu irmão! ( Xi…. ) Mateus 5.23 – Alias que não se reconcilia com seu irmão corre o risco de ao invés de ter sua oferta aceita e ser abençoado fica na qualidade de devedor e ter que pagar até o ultimo centavo!

Que a nossa oferta seja o fruto da eterna gratidão, expressão de uma vida que anda consoante a revelação da novidade de vida do Evangelho!

Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. Lucas 6.38

 

Resumindo: Honremos ao Senhor com nossas ofertas e dizimos, mas tenhamos o nosso coração bem proximo dele!

Rodryguez & Carvalho

Um comentário:

Fernando Marin disse...

Taí, muito bem falado e embasado. Hoje quase que só se fala de dízimo, fidelidade a Deus, oferta de amor, desafios à igreja, correntes, etc, mas quase nada se fala do que é a verdadeira vida cristã.
Parabéns pelo texto!
Abraço.

Chega!

São dois mil anos de história da Igreja, uma historia que começou por volta do ano 33, uma historia gloriosa, de lutas, perseguições, da...