Programa Adoradores sem Limites

sábado, 16 de abril de 2011

Catolicos e Evangélicos – A Intercessão dos Santos

 

Dentre tantas questões teologicas que nos separam do Catolicismo Romano, a intercessão dos Santos, é umas dessas questões que causam certas comoções e acalorados debates entre essas duas vertentes do Cristianismo.  Nós evangélicos erramos por não conhecemos a profundidade das crenças catolicas e os catolicos por sua vez erram por ignorar as nossas razões e infelizmente entre os menos esclarecidos questões assim sempre desabam do campo doutrinário, para o campo pessoal acabando em ofensas e desentendimentos. É penoso reconhecer que na maioria dos debates assim, pensamos mais em defender o nosso ego como “sábios”, portadores da verdade suprema, do que o compromisso com a doutrina que acreditamos. Então antes de qualquer coisa, gostaria de analisar a crença católica dentro do universo teologico do catolicismo, isso é importante para que tracemos uma linha inteligente e percebamos que muito embora não concordemos com a doutrina, ela tem seus fundamentos, e portanto quem crer nisto  não acredita , apenas por acreditar mas embasado em algum arcabouço doutrinario.

Argumento Catolico x argumentos evangélicos

Lendo as escrituras variadas vezes percebemos pessoas intercedendo por outras, isso não carece nem que eu transcreva aqui as passagens bíblicas dado a extensão de vezes que isso ocorre nas Escrituras, esta interecessão encontrada nas escrituras é um do motivos teologicos, citados por teologos catolicos para a crença na interecessão dos santos,  porém é necessário perceber que cada vez que esta interecessão é mencionada na Escritura, está mencionada de vivos por vivos, e não de mortos por vivos, fica aqui a primeira diferença sútil da questão.

Mas a teologia catolica, tomando por base a as palavras de Jesus, que disse Deus ser Deus de vivos e não de mortos, chega a conclusão de que a intercessão é possivel mesmo após a morte desses homens, aplicando um sistema de raciocinio que ensina que entre Deus e os homens é apenas Cristo o mediador, mas pode haver mediadores entre Cristo é os homens. – Uma coisa importante de se esclarecer é que quando a bíblia fala de um único mediador entre Deus e os homens esta falando exclusivamente acerca da doutrina da salvação, portanto tal passagem não se aplica aqui, nem ao catolicismo e nem ao protestantismo. Agora um ponto a ser considerado é a natureza da mediação e as qualidades e atributos desses mediadores após sua morte. Queria frisar que quando em vida, Paulo e os demais, não recebiam pedidos de mediação indiretos, os pedidos eram feitos de forma direta, quero dizer com isso que, Paulo não tinha onisciencia para saber o que as pessoas precisam, nem tinham onipresença para estar nos lugares que os cristãos que ele nem conhecia estavam, haja visto que onipresença e onisciencia são atributos exclusivos de Deus. Na atual intercessão catolica a impressão dada é que esses santos de alguma forma passaram a ter estes atributos, pois podem ouvir as orações que lhe são dirigidas em todos os lugares do mundo e podem ouvi-las ao mesmo tempo. Se tal juízo da minha parte for certo, então estamos diante de um problema teologico, quanto a natureza e os atributos exclusivos do Criador, logo atribuir algo que pertence a Deus na sua exclusividade ao ser humano é coloca-lo no mesmo patamar de Deus, ou faze-lo igual a Deus, sendo assim válida a advertencia do livro do Exodo cap. 20.

Um palavra ainda gostaria de dar sobre as intercessões que fazemos pelos nossos irmãos em vida. A intercessão faz parte do mandamento de levarmos as cargas um dos outros, de sentirmos a mesma coisa, de agirmos como corpo, é ainda uma via de mão dupla eu intercedo ( em vida) mas também sou alvo de intercessão.

Em resumo, nós evangélicos não acreditamos na interecessão dos santos pelo simples fato de que, eles não podem exercer e ter atributos que são exclusivos de Deus. ( onisciencia e onipresença )

 

Rodryguez & Carvalho

Durante os proximos dias estarei escrevendo sobre a Mariolatria e Culto aos Santos, convido você leitor para discorrer comigo, deixe suas considerações, comentarios ou se preferir envienos um texto pelo email  rodryguez.pesquisa@gmail.com, todos os textos serão publicados, desde que mantenham o nível de bom senso e civilidade

25 comentários:

  1. Um comentário rápido ao seu texto:
    1- quando pedimos a intercessão de um santo, nós não estamos nos dirigindo a um Morto, mas à pessoa do santo que está viva no Reino de Deus.
    2- A exclusividade da mediação de Cristo Jesus se refere ´`a nossa justificação diante de Deus. Quando pedimos a intercessão de um santo, referimo-nos à providência de Deus em nosso favor ou à de nosso semelhante, entendendo que a mediação do santo é de outra natureza, e em nada diminui a mediação exclusiva de Cristo. Veja 1Tim 2,1.
    3- É verdade que o santo não é onisciente nem onipresente. Mas aprendemos com São Paulo que a Igreja é o corpo de Cristo. Os que estão unidos a Cristo através de sua pertença à Igreja, são membros do seu corpo.Assim, todos que estão neste mundo, como os que estão já no Reino dos Céus, somos todos membros de um mesmo corpo, e cada membro tem responsabilidade sobre outro membro, para o bem total do corpo. E Cristo, que é a cabeça da Igreja, é também onisciente onipresente, possibilita a comunicação entre todos os membros do seu Corpo, tanto os da terra como os do Céu, nada impedindo que os membros que estão já no Céu, recebam em Cristo nossos pedidos e possam assim orar ou interceder a nosso favor.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário, porém seria de bom grado que você se identifique nos proximos comentários que porventura fazer, todavia visto que seu comentário estrimamente relativo ao assunto resolvi publica-lo.

    Verdade é que Deus é Deus de vivos, aliás este é o testemunho das escrituras falando acerca de Abraão Isaque e Jaco. Mas no que diz respeito a intercessão não existe uma ocorrência que seja nas escrituras, da intercessão dos que passaram para a vida eterna por nós que ainda aqui estamos. Uma analise rapida d texto citado por voce em ITimoteo 2.1 posso perceber duas coisas interessantes a Primeira é que a interecessão não é exclusividade desta ou daquela pessoa, e mais uma vezes vemos o relacionamente entre os que vivem esta existencia e não entre os que estão ja no gozo da vida eterna.
    Quanto aos que morreram em Cristo, estes apenas aguardam o dia em Cristo juntara todo o seu corpo por ocasião do arrebatamento ( I Tess 4.16 )enquanto isso a ordem dada a eles é que aguardem... ( apocalipse 6.11) que repousem...

    Ademais como já foi falado não existe em lugar algum nas Escrituras o pedido de interecessão para aqueles que ja gozam da vida Eterna. E também não é este o testemunho da Igreja no Primeiro Século.

    ResponderExcluir
  3. And.Lima.disse...

    Meu caro rodriguez,

    Vocês dizem:

    Maria e os santos não pode fazer nada porque estão mortos, e aliás a Bíblia não diz que eles possam interceder por nós.

    O Evangelho ensina:

    9.- "Eu sou o Deus de Abraão, e o Deus de Isaac, e o Deus de Jacob? Deus não é Deus dos mortos, senão dos vivos." Mt 22,32

    "E lhes apareceu Elias com Moisés, que conversavam com Jesus." Mc 9,4

    "E faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: O vinho acabou. e disse-lhe Jesus: Que tenho eu contigo, mulher? Ainda não é chegado minha hora. Sua mãe disse aos que serviam: Façam tudo o que ele disser... E como o mestre-sala gostou da água feita vinho". Jo 2,3-9

    Isso é biblico, pois está na biblia.

    ResponderExcluir
  4. Resposta para And.Lima:

    Em primeiro Lugar gostaria de parabeniza-lo pela interação com o blog através do seu comentário. Em resposta a sua pergunta a questão principal é uma só... podem estes santos receberem pedidos de intercessão, ao mesmo tempo e em todos os lugares? Lendo o texto que escrevi você perceberá que este é de fato o cerne da questão. Podem estar em diversos lugares ao mesmo tempo? ouvir tudo ao mesmo tempo? como se processa os pedidos de intercessão feito a eles? Quero ressaltar que ao meu ver de fato a bíblia não ordena este tipo de intercessão e na passagem citada por você, Maria direcionou essas pessoas a ouvirem de Cristo ( de forma direta). Mas voltando ao cerne da questão como falei podem esses santos assumir atributos que são exclusivos da Divindade ( onisciência, onipotência e onipresença)? Fieis do Brasil pedido a Determinado Santo, Junto com Fieis do Japão Ao mesmo santo... pode este santo saber o que se passa em todos os pedidos feitos em lugares tão distantes e as vezes na mesma fração do tempo? Outrossim um comentário ou uma passagem bíblica não comporta em si uma doutrina biblica.

    ResponderExcluir
  5. And.Lima, disse...

    Meu caro Rodriguez,

    Li todo seu texto acima descrito, e responderei ao maximo para explicar-lhe o que você busca em verdade biblica:

    A MEDIAÇÃO DOS SANTOS

    "Orai uns pelos outros, para serdes salvos, porque a oração do justo, sendo fervorosa, pode muito"(Tgo 5, 16)

    Orar quer dizer prestar homenagem, louvar, exaltar, suplicar, embora nem toda homenagem seja uma oração, como já vimos.

    "Tomai sete touros... e ide a meu servo Job... o meu servo Job... orará por vós e admitirei propício a sua face" (Job 42, 8). Neste trecho, Deus não apenas permite, mas ordena "ide", e promete escutar a prece que Jó há de fazer em favor dos seus amigos.

    Nosso Senhor nos manda "Orar uns pelos outros" (MT 5, 44). S. Tiago nos ordena de "orar uns pelos outros" (Tgo. 5, 16). S. Paulo diz que "ora pelos colossenses" (Col. 1, 3).

    No evangelho de S. Mateus (22, 30), Jesus Cristo ensina que os "santos são como os anjos de Deus no céu". Zacarias diz: "que o anjo intercedeu por Jerusalém ao Senhor dos exércitos" (1, 12 -13).

    Os justos, os santos e os anjos do Céu se interessam pelos homens, intercedem pelos homens, e devem ser invocados e louvados.

    O arcanjo Rafael diz a Tobias: "Quando rezavas com lágrimas, e sepultavas os mortos, eu oferecia tua oração a Deus" (Tob. 7, 12) (Os protestantes tiraram esse livro).

    S. Paulo, na mesma carta em que declara Jesus como único mediador entre Deus e os homens, indica também mediadores 'secundários' (I Tm 2, 1-5): "Recomenda que façam preces, orações, súplicas e ações de graças por todos os homens..." Pois, fazer orações por outros, é de fato, ser intercessor e mediador entre Deus e os outros.

    A própria Bíblia aplica o título de mediador também a Moisés (Dt 5, 5): "Eu fui naquele tempo intérprete e mediador entre o Senhor e vós".

    Quando a Sagrada Escritura diz que Nosso Senhor é o único caminho entre os homens e Deus, não quer dizer que entre os homens e Nosso Senhor não possa haver intercessores. É claro, só Nosso Senhor é o intercessor entre nós e Deus Pai, mas não significa que entre nós e Ele não existam pessoas que O conheceram, amaram e serviram de forma exemplar.

    É por isso que a doutrina católica chama Nossa Senhora de "Mediatrix ad Christum mediatorem", isto é, "Medianeira junto a Cristo mediador". Deste modo, Cristo fica como único mediador entre Deus e os homens; e a Virgem Maria fica uma "medianeira junto a Cristo".

    O poder de interceder está expresso em diversas passagens das Sagradas Escrituras, como nas Bodas de Caná, onde Nosso Senhor não queria fazer o milagre, pois "ainda não havia chegado Sua hora" e "o que temos nós a ver com isso (com a falta de vinho)?". Bastou Nossa Senhora pedir para que seu Filho fizesse o milagre, que Ele adiantou sua hora para atender à intercessão de sua Mãe Santíssima. Que tamanho poder de intercessão têm Nossa Senhora! Fazer com que Deus, por assim dizer, mudasse seus planos? É tal o poder de Nossa Senhora que a doutrina católica a chama de onipotência suplicante, ou seja, Aquela que tem, por meio da súplica a seu Filho, o poder onipotente!

    Existem diversas passagens da Sagrada Escritura em que Deus só atende por meio da intercessão dos santos, como no caso de Jó (já visto), em que Deus expressamente mandou que o fiel pedisse através de seu servo Jó. Ou mesmo o caso do discípulo de Santo Elias, que só fazia milagres quando pedia através do Deus de Elias.

    Ora, é natural que Deus atenda àqueles que estão mais perto dele do que àqueles que estão mais distantes. Quanto maior a virtude de uma pessoa, tanto mais perto de Deus ela está e tanto mais pode interceder por nós.

    Portanto, fica comprovado que é útil a intercessão dos santos junto à Nosso Senhor Jesus Cristo, único mediador entre os homens e Deus-Pai.

    ResponderExcluir
  6. Anderson Lima, disse...

    Meu caro Rodriguez,

    Li todo seu texto acima descrito, e responderei ao maximo para explicar-lhe o que você busca em verdade biblica:

    A MEDIAÇÃO DOS SANTOS

    "Orai uns pelos outros, para serdes salvos, porque a oração do justo, sendo fervorosa, pode muito"(Tgo 5, 16)

    Orar quer dizer prestar homenagem, louvar, exaltar, suplicar, embora nem toda homenagem seja uma oração, como já vimos.

    "Tomai sete touros... e ide a meu servo Job... o meu servo Job... orará por vós e admitirei propício a sua face" (Job 42, 8). Neste trecho, Deus não apenas permite, mas ordena "ide", e promete escutar a prece que Jó há de fazer em favor dos seus amigos.

    Nosso Senhor nos manda "Orar uns pelos outros" (MT 5, 44). S. Tiago nos ordena de "orar uns pelos outros" (Tgo. 5, 16). S. Paulo diz que "ora pelos colossenses" (Col. 1, 3).

    No evangelho de S. Mateus (22, 30), Jesus Cristo ensina que os "santos são como os anjos de Deus no céu". Zacarias diz: "que o anjo intercedeu por Jerusalém ao Senhor dos exércitos" (1, 12 -13).

    Os justos, os santos e os anjos do Céu se interessam pelos homens, intercedem pelos homens, e devem ser invocados e louvados.

    O arcanjo Rafael diz a Tobias: "Quando rezavas com lágrimas, e sepultavas os mortos, eu oferecia tua oração a Deus" (Tob. 7, 12) (Os protestantes tiraram esse livro).

    S. Paulo, na mesma carta em que declara Jesus como único mediador entre Deus e os homens, indica também mediadores 'secundários' (I Tm 2, 1-5): "Recomenda que façam preces, orações, súplicas e ações de graças por todos os homens..." Pois, fazer orações por outros, é de fato, ser intercessor e mediador entre Deus e os outros.

    A própria Bíblia aplica o título de mediador também a Moisés (Dt 5, 5): "Eu fui naquele tempo intérprete e mediador entre o Senhor e vós".

    Quando a Sagrada Escritura diz que Nosso Senhor é o único caminho entre os homens e Deus, não quer dizer que entre os homens e Nosso Senhor não possa haver intercessores. É claro, só Nosso Senhor é o intercessor entre nós e Deus Pai, mas não significa que entre nós e Ele não existam pessoas que O conheceram, amaram e serviram de forma exemplar.

    É por isso que a doutrina católica chama Nossa Senhora de "Mediatrix ad Christum mediatorem", isto é, "Medianeira junto a Cristo mediador". Deste modo, Cristo fica como único mediador entre Deus e os homens; e a Virgem Maria fica uma "medianeira junto a Cristo".

    O poder de interceder está expresso em diversas passagens das Sagradas Escrituras, como nas Bodas de Caná, onde Nosso Senhor não queria fazer o milagre, pois "ainda não havia chegado Sua hora" e "o que temos nós a ver com isso (com a falta de vinho)?". Bastou Nossa Senhora pedir para que seu Filho fizesse o milagre, que Ele adiantou sua hora para atender à intercessão de sua Mãe Santíssima. Que tamanho poder de intercessão têm Nossa Senhora! Fazer com que Deus, por assim dizer, mudasse seus planos? É tal o poder de Nossa Senhora que a doutrina católica a chama de onipotência suplicante, ou seja, Aquela que tem, por meio da súplica a seu Filho, o poder onipotente!

    Existem diversas passagens da Sagrada Escritura em que Deus só atende por meio da intercessão dos santos, como no caso de Jó (já visto), em que Deus expressamente mandou que o fiel pedisse através de seu servo Jó. Ou mesmo o caso do discípulo de Santo Elias, que só fazia milagres quando pedia através do Deus de Elias.

    Ora, é natural que Deus atenda àqueles que estão mais perto dele do que àqueles que estão mais distantes. Quanto maior a virtude de uma pessoa, tanto mais perto de Deus ela está e tanto mais pode interceder por nós.

    Portanto, fica comprovado que é útil a intercessão dos santos junto à Nosso Senhor Jesus Cristo, único mediador entre os homens e Deus-Pai.

    ResponderExcluir
  7. Anderson Lima, disse...

    OS SANTOS NÃO DORMEM APÓS A MORTE, POIS "DEUS É DEUS DOS VIVOS" E NÃO DOS ADORMECIDOS

    Eis algumas passagens que demonstram a falsidade do argumento daqueles que defendem a tese de que os homens estão "dormindo" após a morte. 1) Na transfiguração do Tabor, Nosso Senhor aparece ao lado de Elias e de Moisés.

    Elias está no Paraíso terrestre (ele não morreu e deve voltar no fim do mundo) e Moisés já estava morto (Lc 9, 28 ss).

    Ora, como alguém que esteja dormindo pode aparecer "acordado" ao lado de Nosso Senhor?, 2) Na parábola do "rico avarento", este pedia, após sua morte, para voltar à terra e avisar os seus amigos (Lc 16, 19 e ss). Pergunta-se, como um ser que dormia podia pedir para 'interceder' pelos seus?. 3) Veja essa outra citação: "santos são como os anjos de Deus no céu" (S. Mateus 22, 30). Será que os anjos também estão dormindo? E o nosso anjo da guarda? E os anjos que governam os astros?

    Ora, é muita contradição defender que os santos estão dormindo, mesmo porque, Deus, voltando-se ao bom ladrão, disse: "Em verdade, em verdade vos digo, ainda hoje estarás comigo no paraíso". Ora, ele não disse que após adormecer e após a ressurreição dos corpos S. Dimas estaria no paraíso. Ele estava 'no tempo', vivo, quando disse essas palavras, indicando a morte próxima de S. Dimas e a entrada deste primeiro santo canonizado da Igreja.

    Em outro trecho, quando discutia com os saudoceus: "Quanto à ressurreição dos mortos, não lestes o que Deus nos declarou? Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó? Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos" (Mateus 22, 31-33). Logo, Abraão, Isaac e Jacob estão vivos e não "adormecidos".

    No Novo Testamento é nítida a afirmação de que, após a morte, os justos gozam de vida consciente e bem-aventurança. Assim, S. Paulo desejava morrer para estar com Cristo - o que lhe parecei melhor do que ficar na vida presente: "Para mim, viver é Cristo, e morrer é lucro... Sinto-me num dilema: meu desejo é partir e estar com Cristo, pois isto me é muito melhor...."(Fl 1, 21, 23) - Se é para estar com Cristo, ou Nosso Senhor está dormindo, ou os santos não estão dormindo após a morte.

    Mais: em Ap. 6, 9s, os mártires, junto ao altar de Deus nos céus, clamam em alta voz: "Até quando, ó Senhor Santo e verdadeiro, tardarás a fazer justiça, vingando nosso sangue contra os habitantes da terra?" Como se vê, os justos estão conscientes após a morte!

    A palavra "dormir" é utilizada em sentido figurado, como eufemismo, significando aqueles que morreram. Em outro trecho, a palavra 'despertar' significa 'ressuscitar'. Quando Nosso Senhor fala, por exemplo: "Pelos frutos conhecereis a árvore". A qual árvore Ele está se referindo? É claro que é uma expressão em sentido figurado. Ele está dizendo que pelos "frutos" (boas obras) conhecereis a "árvore" (quem, de fato, é a pessoa, a instituição etc).

    ResponderExcluir
  8. Anderson Lima, disse...

    A INTERCESSÃO DOS SANTOS APÓS A MORTE:

    Alguns exemplos de intercessão após a morte:
    Jeremias: "E o Senhor disse-me: ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de mim, a minha alma não se inclinaria para este povo; tira-os da minha face e retirem-se" (Jer 15, 1 ss). No tempo de Jeremias, estavam mortos Moisés e Samuel, mas sua possível intercessão é confirmada pelas palavras do próprio Deus: "ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de mim...", quer dizer que eles poderiam se colocar diante de Deus para pedir clemência para com aquele povo. Em outras palavras, Deus deixa clara a possibilidade da intercessão após a morte.

    Os "santos são como os anjos de Deus no céu" (S. Mateus 22, 30). Zacarias diz: "que o anjo intercedeu por Jerusalém ao Senhor dos exércitos" (1, 12 -13).

    Em II Mac 15, 12-15 lemos: "Parecia-lhe (a Judas Macabeu) que Onias, sumo sacerdote (já falecido!)... orava de mãos estendidas por todo o povo judeu... Onias apontando para ele, disse: 'Este é amigo de seus irmãos e do povo de Israel; é Jeremias (falecido), profeta de Deus, que ora muito pelo povo e por toda a cidade santa".

    No Apocalipse (6, 9s), os mártires, junto ao altar de Deus nos céus, clamam em alta voz: "Até quando, ó Senhor Santo e verdadeiro, tardarás a fazer justiça, vingando nosso sangue contra os habitantes da terra?"

    Todos estes trechos demonstram, inequivocamente, a intercessão dos santos após a morte.

    ESTAREI DISPONÍVEL PARA QUAISQUER ESCLARECIEMNTOS ADICIONAIS.

    ResponderExcluir
  9. Vamos lá Anderson, é verdade que a bíblia recomenda oração por por todos isso é um ponto passivel, porém não a unica menção nas escrituras dizendo que esta ou aquela intercessão é mais poderosa. A passagem de Jeremias usar termos como "ainda" e diz que nem assim seriam ouvidos, com relação ao trico e lazaro o que Jesus disse é os vivos tem a lei e os profetas, ou seja as escrituras... Nas bodas de Caná não existe a indicação que Jesus não queria realizar o milagres, sugiro que estude os termos "ainda não chegou minha hora" diretamente no grego koiné. Quando falo vivos e mortos, não estou falando que cessou o estado de consciência e sim que existe uma separação clara entre estes dois estados, definidos por coisas que cada um podem ou não fazer, de qualquer forma se estes que já estão com o Senhor, podem interceder, voltando ao cerne da questão que ao meu ver você ignorou poderiam eles receber os pedidos de intercessão de dez pessoas ao mesmo tempo, que estivessem em diversos lugares? se assim for então Deus repartiu seus atributos exclusivos com eles, muito embora a escritura afirme que ele não reparte a sua glória. Você usou um argumento que faltou com a verdade do ponto de vista historico, dizendo que os protestantes retiraram alguns livros da bíblia ( tobias) não sei se é do seu conhecimento mas seguimos o canon hebraico e os catolicos o canon grego da septuaginta que deu origem a tradução da Vulgata por Jeronimo, bom estas versões grega e hebraica, ja existiam antes do advento do cristianismo e portanto bem antes do protestantismo ( claro!)OS santos são semelhantes aos anjos no sentido de casar e nem dar em casamento, isso esta implicito nas palavras de Jesus, mas estarão em todos os outros aspectos? Ainda com relação ao anjo intercessor o texto hebraico usa algo com um artigo definido O Anjo, em contraste com um anjo, o que de acordo coma teologia que acredito, creio que O ANJO, em diversas passagens é uma alusão ao próprio Cristo, até porque foi um anjo com estas características gramaticas no texto que Josué Adorou - Ainda com relação a intercessão mesmo se tal fosse possível, temos outro problema que é pessoas que se curvam se prostram diante das imagens desses santos, uma vez que nem o anjo no apocalipse Quiz tal adoração. Ainda aos livros que não constam nas versões hebraicas, segue uma lista de motivos pelos quais não os achamos canonicos:

    ResponderExcluir
  10. TOBIAS – (200a.C.) – É uma história novelística sobre a bondade de Tobiel (pai de Tobias) e alguns milagres preparados pelo anjo Rafael.
    Apresenta:
    • Justificação pelas obras – 4.7-11;12.8
    • Mediação dos santos – 12.12
    • Superstições – 6.5, 7.9,19
    • Um anjo engana Tobias e o ensina a mentir – 5.16-19

    JUDITE – (150a.C.) – è uma história de uma heroína viúva e formosa que salva sua cidade enganando um general inimigo e decapitando-o. Grande heresia é a própria história onde os fins justificam os meios.

    BARUQUE – (100a.C.) – Apresenta-se como sendo escrito por Baruque, o cronista do profeta Jeremias, numa exortação aos judeus quando da destruição de Jerusalém. Mas é de data muito posterior, quando da segunda destruição de Jerusalém, no pós-Cristo.
    Traz, entre outras coisas, a intercessão pelos mortos – 3.4.

    ECLESIÁSTICO – (180a.C.) – É muito semelhante ao livro de Provérbios, não fosse tantas heresias:
    • Justificação pelas obras – 3.33,34
    • Trato cruel aos escravos – 33.26 e 30; 42.1 e 5.
    • Incentiva o ódio aos samaritanos – 50.27 e 28.

    SABEDORIA DE SALOMÃO – (40a.C.) – Livro escrito com finalidade exclusiva de lutar contra a incredulidade e idolatria do epicurismo ( filosofia grega na era cristã).
    Apresenta:
    • O corpo como prisão da alma – 9.15
    • A doutrina estranha sobre a origem e o destino da alma – 8.19 e 20
    • Salvação pela sabedoria – 9.19

    I MACABEUS – (100a.C.) – Descreve a história de três irmãos da família “Macabeus”, que no chamado período interbíblico (Entre o A.T. e N.T.) (400a.C. 3a.D) lutam contra inimigos dos judeus visando a preservação do seu povo e da sua terra.

    II MACABEUS – (100a.C) – Não é a continuação de I Macabeus, mas um relato paralelo, cheio de lendas e prodígios de Judas Macabeu.
    Apresenta:
    • A oração pelos mortos – 12.44-46
    • Culto e missa pelos mortos – 12.43
    • O próprio autor não se julga inspirado – 15.38-40; 2.25-27
    • Intercessão pelos santos – 7.28 e 15.14

    Adições ao Livro de Daniel:

    Capítulo 13 – A história de Suzana -
    Segundo esta lenda, Daniel salva Suzana num julgamento fictício baseados em falsos testemunhos.

    Capítulo 14 – bel e o Dragão –
    Contem histórias sobre a necessidade da idolatria.

    Capítulo 3.24-90 –
    O cântico dos três jovens na fornalha.

    Que os livros apócrifos, seja qual for o valor devocional ou eclesiástico que tiverem, não são canônicos, o que se comprova pelos seguintes fatos:

    1. A comunidade judaica jamais os aceitou como canônicos.
    2. Não foram aceitos por Jesus, nem pelos autores do Novo Testamento.
    3. A maior parte dos primeiros grandes pais da igreja rejeitou sua canonicidade.
    4. Nenhum concílio (dic. - Assembléia de lideres religiosos que delibera, resolve sobre questões de doutrina ou disciplina eclesiásticas) da igreja os considerou canônicos senão no final do século IV.
    5. Jerônimo, o grande especialista bíblico e tradutor da Vulgata (versão Católica Romana) rejeitou fortemente os livros apócrifos.
    6. Muitos estudiosos católicos romanos, ainda ao longo da Reforma, rejeitaram os livros apócrifos.
    7. Nenhuma igreja ortodoxa grega, anglicana ou protestante, até a presente data, reconheceu os apócrifos como inspirados e canônicos, no sentido integral dessas palavras.
    8. Os apócrifos não reivindicam ser proféticos.

    ResponderExcluir
  11. Anderson Lima...

    Caro Rodriguez,

    Vejo que em todas passagens que lhe passei você não me respondeu todas? Não sei porque?
    Será que não sabe responder?

    Em relação a Maria Mãe de Deus e Minha Mãe:

    Tenho algo a lhe dizer:,

    Como vocês (Os Evangélicos) veem Maria?
    Pessoal só existe uma mãe de Jesus, Só quem
    reconhece maria e quem está cheio do Esprito
    Santo.

    Pra começar Meu caro,

    Mostre me na biblia onde diz que morreu ?

    Honrar Maria meu povo não é dividir a Glória de Deus?
    Pensar que honrar Maria é dividir a Glória de Deus é coisa contrária ao ensinamento bíblico: Isabel, cheia do Espírito Santo, honrou Maria e Jesus. Honrou os dois. E honrou Jesus por meio de Maria. Lucas 1,39 a 45. Quem crê na Bíblia jamais pode dizer que é errado honrar Maria uma vez que o próprio Espírito Santo inspirou Isabel a fazer isso i e isso consta na Bíblia, com todas as letras !!!!
    Se honrar Maria seria dividir a Glória devida a Deus, jamais o Espírito Santo iria inspirar Isabel a honrar Maria, em alta voz !!!

    Intercessora sim?
    Mas todos e ela está unida a Cristo, ao Corpo Mistico de Cristo e se Cristo está a direita do Pai, todos os que já estão plenamente unidos a Jesus na eternidade, está também lá, com Jesus, em Jesus, por Jesus, reinando com Jesus, participando da glória de Jesus, à direita do Pai. Sem dúvida que Maria está lá.

    Bom, para mim, o que os evangélicos fazem é desprezar Maria e, por meio desse desprezo, diminuem a honra devida a Jesus.

    Na Bíblia, Isabel ficou cheia do Espírito Santo e honrou Maria !!! Onde vejo os evangélicos cheios do Espírito Santo fazerem o mesmo ? Não vejo !!! Pelo contrário, imagino se houvesse algum evangélico ali, perto de Isabel, teria tentado converter Isabel dizendo que ela estava errada, que deveria honrar somente Jesus, pois Jesus é o unico caminho, por Deus não divide sua glória, etc e etc.... pois é assim que agem hoje !!!!! E penso que estão, nesse assunto, completamente fora do ensinamento da Bíblia.

    Os "Protestantes" dizem:
    - Maria não pode fazer nada porque está morta igual aos santos, e aliás a Bíblia não diz que ela possa interceder por nós.

    O Evangelho ensina:
    "Eu sou o Deus de Abraão, e o Deus de Isaac, e o Deus de Jacob? Deus não é Deus dos mortos, senão dos vivos." Mt 22,32

    "E lhes apareceu Elias com Moisés, que conversavam com Jesus." Mc 9,4

    "E faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: O vinho acabou. e disse-lhe Jesus: Que tenho eu contigo, mulher? Ainda não é chegado minha hora. Sua mãe disse aos que serviam: Façam tudo o que ele disser... E como o mestre-sala gostou da água feita vinho". Jo 2,3-9


    Maria minha honra pertence a ti com sua poderosa intercessão "Doravante todas as nações me chamarão bem-aventurada."(Luc. I,48).

    Quando pegunta a vocês se Rezar uma ave maria e Pecado o que vcs respondem?
    E pecado o que está na biblia?

    Pra vcs não vim aqui pra mudar o pensamento de vcs, nem para deixa-los com mal entendimento,A base biblica não me deixa mentir.

    Estarei aqui p/ esclarecer todas duvidas e quando eu estiver errado irrei me redimir com a ajuda de vcs por enquanto fico firme na Palavra.

    Valeu, abçs . Paz e Bem.

    ResponderExcluir
  12. Anderson a resposta esta ai de forma resumida o que para bom entendedor se aplica a todas as suas citações,do mesmo modo você não me respondeu a questão da divisão dos atributos exclusivos da divindade. Em relação a Maria, gostaria que me apontasse um comentário desonroso em minhas edições, claro que maria foi Bem Aventurada, dela nasceu a o Salvador, porém ela é mãe da humanidade Jesus e não da sua divindade, Todavia porque não honrar Davi... Já que ele é Hamashiah Ben Davi? Quanto disse mortos e vivos , se voce leu tudo o que escrevi vera que disse que existe uma coisa entre o que um e outro pode fazer. Não disse que cessa-se consciencia. E não existe na bíblia ordem, mandamento ou doutrina, dizendo que Maria é a Grande Intecessora - Você faz uso de versículos interpretados pela tradição catolica, mas não tem nada de conclusivo que diga " Deve se fazer assim" no termos dos dez mandamentos ou do sermão da montanha, quando a Ave Maria, está oraçao não esta na biblia. NO contesto contexto do Deus de Abrão , Isaque e Jacó Deus de Vivos, examine o contexto e verá que nada tem a haver com a intercessão dos santos ou maria, A Primeira regra hermenêutica é a relação texto e contexto, e não versículos isolados e arrumados de forma a parecer uma doutrina bíblica, para finalizar de todos os nascidos de mulher nas palavras de Cristo João Batista é o maior... então se for por esse lado sua intercessão seria maior que a de maria. Com relação as bodas de Caná como já falei uma melhor leitura do texto no seu original pode lançar luz as palavras de Jesus quando diz " Ainda não chegou a minha hora" - Agora não existe nas minhas edições menção desonrosa a Maria, como você parecer querer insinuar, foi mãe do salvador do mundo tem seu lugar na historia, agora honrar não deve ser confundido com adorar.

    ResponderExcluir
  13. Ok meu caro,

    E quem Adora Maria a igreja catolica?
    Me responda a isso? Pois não vejo isso?

    E o que quer dizer ´´ainda não chegou a minha hora``, pois eu já disse a minha base biblica e você até agora meu a irmão, não disse nada!!!

    Tenho o que saber o que acha ou melhor o que e verdade, pois a biblia e SIM, SIM, NÂO, NÂO.

    E depois comentamos sobre este passagem
    Jo 2,3-9.

    Paz e Bem.

    ResponderExcluir
  14. Se curvar, Ajoelhar-se o que é ? Dirigir pedidos, render parte do culto? o que ? venerar? o simples ato de prestar culto de compor louvores etc - A impressão que tenho do Catolicismo é que Cristo esta longe numa esfera quase inancansavel e maria Muito mais Perto. Porém O Autor de Hebreus diz que ele nos socorre porque foi tentado como homem em todas as coisas, não esta longe pois sabe o que é o porque haja a necessidade de uma poderosa intercessora se assim o for a cruz de Cristo e o seu sacrifício fica com seu valor diminuido

    Com relação a Passagem citada, que vc tanto insiste vejamos:

    Foram pedir para MAria como se ela tivesse alguma influencia sobre Cristo, ( não como filho mas como Deus)

    Ele respondeu de Forma aspera, "mulher que eu contigo? e disse que não havia chegado a sua hora.

    Uma analise do texto grego koine, demostra que a hora que Jesus se refere é porque ele ainda não era o principal na casa ( o principal era o noivo e o mestre sala ) em grego fica mais ou menos assim : " Ainda não fui solicitado" ou não fui colocado no meu devido lugar, Maria volta e diz a eles fazei tudo o que eles disser: Ou seja coloquem ele como o principal que ele resolve.

    Todo o centro da passagem esta em Cristo ser o principal, apenas isso e não exergo nisso base para para a que rogamos a maria, por sua intercesão

    Não se deve confundir, Maria é Mãe da Humanidade de Cristo, e não da Sua Divindade, visto que Ele sendo Deus EXiste destes os tempos Eternos e portanto muito antes de MAria.

    Se queria saber o que eu acho esta ai em relação a esta passagem.

    ResponderExcluir
  15. Anderson Lima disse...

    Opa, você disse que tem a impressão, mas uma vez lhe digo, só fale quando tiver certeza pois levantar falso testemunho e pecado.

    Em relação a passagem de João, você acabará de dizer que Maria não intercedeu, e disse ainda a parte ´´não chegou minha hora``, hora que era relacionado (aos noivos e mestres).

    Vejamos: Maria, tinha conciência que Jesus irá fazer tudo o que ela pediu,ela somente Pediu não ordenou.E Jesus vendo que ainda não chegará sua hora disse a sua mãe: "mulher o que eu tenho contigo``,´´ainda não chegou a minha hora`` Maria sabia que seu filho inha aceitar seu pedido mesmo a festa não sendo sua, e a atenção também.
    Isso só mostra que Jesus sendo o centro de tudo Maria irá sempre interceder.

    Obs: E foi numa festa de casamento que, a pedido de sua Mãe, Jesus quis realizar seu primeiro milagre: a transformação da água em vinho (Jo 2, 1-11).
    Devido a esse sublime papel de medianeira e de onipotência suplicante da Santíssima Virgem, que se inicia publicamente nas Bodas de Caná, talvez pudéssemos dividir a História da espiritualidade em duas grandes eras: antes de Maria e depois de Maria.
    Em Caná, Maria nos ensina algo muito importante: apesar da negação de Jesus, Ela ordena aos criados fazerem tudo quanto Este lhes dissesse. Não havia Ele dito que não chegara ainda sua hora? Fica, portanto, em quem lê o Evangelho, a impressão de Maria não ter feito caso dessa resposta negativa…

    ResponderExcluir
  16. ter uma impressão meu caro não constitui em si um pecado, sugiro que você estude um pouco de harmatiologia, e]para que possa definir com vista ao estudos das escrituras o que é pecado.Quero lembrar-lhe que você usou em seus comentários a falsa afirmação que os protestantes retiraram alguns livros da bíblia, não se ateve ao doutrina em si e procurou a principio usar de argumentos não verdadeiros o que não é verdade conforme já comprovado, alias pergunte para qualquer biblista serio do catolocismo romano, que este poderá lhe ensinar a historia das versões gregas e hebraicas do tanacah,- ademais qualquer um que pedir para Cristo receberá pois que busca encontra e para quem bate a porta se abre, não há em passagem alguma a afirmação de que é necessário para receber algo a intercessão deste ou daquele santo -- procurei te responder de acordo com o sentido do texto original em que foi escrito o texto - E não há indicação no texto que Jesus tenha negado, apenas disse que sua hora não havia chegado, conforme já tentei lhe explicar.
    Ja estudou o texto de forma livre, já procurou o sentido das palavras no texto original? já expôs o conceito a doutrina geral das escrituras? Creio que não não é toa que o catolicismo rejeita o Sola scriptura da reforma protestante.

    ResponderExcluir
  17. Anderson Lima disse...

    Definição de IMPRESSÃO:
    Formal: Ato de imprimir
    Informal: Impressão de algo, desconfiança.

    Em tudo o que você falou vou relevar, pois o pecado não se origina somente do ato, mas também de desconfiança, falta de certeza etc.

    VEJAMOS: Estas declarações parecem causar confusão no espírito de certas pessoas; mas a Palavra de Deus é verdadeira, e nela não há contradição. O que nos dá essa IMPRESSÃO, deve ser apenas falta de compreensão de vossa parte.

    Podemos ser sinceros em nossa opinião, e todavia enganar-nos por falta de perfeita compreensão do assunto. A Bíblia é a Palavra Viva, é a Palavra do Deus Vivo... Trata da realidade eterna. Encontra-se nela, alturas e profundidades além da compreensão da mente finita do homem. Mas esse mesmo fato não é senão outra evidência de que ela é de Deus.

    Se nos deparamos com aparentes contradições (aparências), devemos estudar cuidadosamente o assunto, e com humildade, buscar o auxílio do Senhor para compreendê-las, e o Espírito Santo nos esclarecerá a mente. Dentre todas as leis mencionadas na Bíblia, duas têm destaque preeminente: A Lei Cerimonial e a Lei Moral, fatos que muitos cristãos não aceitam ou não compreendem, mas que é claro em toda a Bíblia.

    PAZ E BEM.

    ResponderExcluir
  18. Revelar? O que?, contradições aparente?, percebo que você agora deixou o caminho apologético, e agora esta tentando me dissuadir com uma ou duas palavras em caráter semântico ou etimológico, já que preferiu este caminho estude, na mesma linha o sentido das palavras, "!latria" em latim e venerar em português ou "proscumeo" em grego; - E você se engana quanto a sua esta tentando me dissuadir ou não entendeu o eu Quiz dizer, me parece que você fica garimpando meus comentários procurando ao menos uma palavra digo isso mesmo, uma palavra para que você possa assim de alguma forma tentar me corrigir, e não estamos falando de lei cerimonial e lei moral - Quando disse impressão, fiz uma ironia, porque se for idolatria o que é? como disse estude a palavra latria, veneração e proscumeo, ( latim, português e grego) ou ainda se preferir "havah" em hebraico. -

    ResponderExcluir
  19. Meu caro irmão Rodrigues concordo plenamente com os sus comentarios, pois não vemos na palavra de Deus nenhum respaldo para afirmar as besteiras acimas citadas por esse anonimo.É por isso que vemos na história do cristianismo que houve a necessidade de uma reforma. Que Deus continue abençoando a sua vida e continue defendendo a verdade do evangelho, contra HERESIAS e HERETICOS. Graça e paz exclusivamente de Jesus somente.

    ResponderExcluir
  20. Caro Rodryguez,
    Estou me dirigindo a você, não a idólatras que não entendem nada de exegese, porque seria tempo perdido querer convencê-los.
    Você, como a maioria, acredita certamente em alma imortal e que os mortos não estão mortos, mas conscientes. Considero isso antibíblico, porque a sentença sobre Adão foi clara: morrerás. E mais: "Tu é pó, e ao pó tornarás."
    Essa ideia de alma que deixa o corpo e continua a existir consciente é grega, não é bíblica. A Bíblia diz que os mortos não sabem de coisa alguma e, quanto aos vivos, que sai-lhes o alento e nesse mesmo dia perecem todos os seus desígnios.
    Paulo diz que o salário do pecado é a MORTE. Ora, ficar inventando que essa palavra se refere ao corpo e que o "espírito" continua a existir consciente, baseado numa parábola, é admitir heresias católicas.
    Morto não existe, não sente o tempo passar. Morrer e ressuscitar é instantâneo, por isso Paulo disse que era melhor morrer e estar com Cristo. Para quem morre, estar com Cristo é imediato.
    Outra coisa, alma ou espírito não existe. É linguagem figurada baseada na passagem em que Deus sopra a vida nas narinas de Adão.

    ResponderExcluir
  21. Primeiro onde esta escrito que rico e lazaro é uma parábola? examine o texto grego e vera que não é dado o mesmo tratamento de parábola, nem o texto começa com a forma gramatical ..lhes propôs uma parábola dizendo... nem muito muito menos a formula .. há quem compararei?

    ainda gostaria que você com sua exegese me explicasse os seguintes textos bíblicos:

    Foi mesmo Moises que apareceu a Cristo na transfiguração? Mateus 17.
    Quem foram os Espíritos em prisão a quem Jesus pregou quando desceu as regiões profundas à terra ? I Pedro 3:18-20
    Que são as almas que aparecem no livro do Apocalipse, pedindo justiça ao Todo Poderoso? Apoc. 6:9-11.
    As Visões de Paulo no corpo ou fora do corpo? II Corinthios 12

    E ao contrario de do que você pensa, vale a pena sim se dirigir a idolatras, até mesmo porque devemos pregar a verdade.

    Aproveita a ocasião e defina o termo exegese....

    E para de ser leviano com acusações, pois aqui ninguém esta inventando nada, como se a intenção fosse enganar, trata-se de pontos de fé, de crença e liberdade de opinião não de invencionices.

    Se situe na historia eclesiástica e vera que essa crença no Cristianismo é anterior ao Papado tal como conhecemos hoje.

    Para nos quando a Bíblia fala dos mortos fala de sua relação com este mundo, que evidente não existe mais.

    ResponderExcluir
  22. Amigo, só acredito na Bíblia, o que denominações ensinam não vale nada para mim.

    1) Não é preciso estar escrito que é parábola para que seja, isso é seguir à risca aulinha de seminário.
    2) O texto de Lucas é espúrio, ou Lucas não devia estar no cânone, pois contém ensino antibíblico. Vejamos:
    Abraão, simbolizando Deus, responde ao rico que este tivera seus bens em vida, enquanto Lázaro tivera males, e que, portanto, estava tudo invertido. Ora, isso não é ensino bíblico, mas grego. Além disso, a Biblia diz que mortos não sabem de coisa alguma, isto é, não mais existem.
    3)Moisés não apareceu no monte, foi uma revelação dada aos discípulos de que Jesus era o que Pedro dissera dele. Moisés, representando a Lei; Elias representando os profetas. Interessante você não ter questionado Elias...lembrou-se de que não poderia ser um espírito, não é?
    4)Os espíritos, agora em prisão, isto é mortos, foram aqueles que ouviram a pregação de Jesus por meio do espírito santo através de Noé. Espírito aí não significa alma sem corpo. Isso é espiritismo ou Catolicismo.
    5) Jesus desceu ao Inferno, às profundezas da terra, no credo católico, eu não sei nada disso, porque não está na Bíblia. A Bíblia diz que Jesus morreu e ressuscitou. Se tivesse ficado passeando até o Hades ou seja lá o quê, antes de ressuscitar, não teria sido morte.
    6) As almas do Apocalipse são meras figuras de linguagem, a maneira pitoresca de João dizer que a justiça acabará sendo feita. Onde já se viu alma, ou quem quer que seja, questionar a Deus e acusá-lo de vagaroso? Acorde!
    7) Paulo teve revelações, e ele mesmo não soube explicar como se deram, acaso você sabe mais que ele?
    8) Vale sempre a pena pregar a verdade, para quem está disposto a ouvi-la, e Deus no-los mostra. Fanáticos antiprotestantes que se sentem bem na idolatria não devem ser incomodados em vão. Eles não querem a salvação por meio de Jesus, mas sim através das penitências e do fogo do purgatório. Eles têm a Bíblia, não foi isso que Abraão respondeu ao rico?
    9) Exegese é interpretação de textos, mormente os bíblicos. O que se faz comumente é EISegese, isto é, colocar na Bíblia doutrinas e ensinos que ela não tem, como, por exemplo, alma imortal e salvação automática de crianças.
    10) Não se irrite, porque não estou acusando ninguém de nada, a não ser de ter aprendido errado e ainda teimar.
    11) Deus disse que o homem morreria; a serpente disse que não, que Deus mentira. Paulo disse que o homem morre (o salário do pecado é a morte). As igrejas dizem que o homem não morre, mas continua consciente após a morte, a despeito de a Bíblia dizer que não, mas que mortos não sabem de coisa nenhuma.
    Então entra a EISegese e diz que "morte" não é "morte", mas separação de Deus. Tudo bem, mas eu aprendi que mè apólletai, em Jo 3:16, significa NÂO SEJA EXTINTO, inclusive, é da mesma Raiz de Apollyon, que no Apocalpse está traduzido como Destruidor. O dicionário grego, traduz apóllymi como destruir completamente, e não "ser separado de Deus".
    Bem, quanto a mim, confiando no que está escrito sobre Deus ser amor, fica meio difícil crer que ele criou seres limitados para serem eternamente separados dele em sofrimento, enquanto somente poucos entrarão pela porta estreita que leva à felicidade eterna.
    Para mim vale o que está escrito: "Tu és pó, e ao pó tornarás." Morte é mesmo morte, se não fosse, Paulo teria explicado bem direitinho, como sempre fazia.
    Vou repetir, não se irrite.

    ResponderExcluir
  23. Acredita, na Bíblia? Então o texto de Lucas é espúrio? Apenas para sua o Homem sem Deus já está considerado morto, conforme o ensino de Paulo, que diz mortos em delitos e pecados, quando a sua interpretação do grego ela parece ser falha uma vez que você não leva em consideração as flexões do idioma, que pelo jeito você quer dizer que conhece. Na postagem anterior vou acusou de estar inventando coisas ao texto bíblico e agora diz que não acusa? quando a sua interpretação do grego considere isto:

    "Perecer"
    1 - apollumi, "destruir", significa, na voz média, "perecer", e é usado acerca de:
    (a) coisas (por exemplo, Mt 5.29.30; Lc 5.37; At 27.34 [em alguns textos piptõ, "cair"]; Hb 1.11; 2 Pe 3.6; Ap 18.14-segunda parte...
    (b) pessoas (por exemplo, Mt 8.25; Jo 3.15, 16; 10.28; 17.12, "se perdeu"; Rm 2.12; 1 Co 8.11; 15.18; 2 Pe 3.9; Jd 11). Em 1 Co 1.18 ["Porque a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo..."], literalmente, "perecendo", onde a força perfectiva do verbo implica a conclusão do processo. Quanto ao significado da palavra, veja DESTRUIR".

    "Destruir"
    1 - apollumi, forma fortalecida de ollumi, significa "destruir totalmente"; na voz média, "perecer". A idéia não é de extinção, mas de ruína, perda, não de ser, mas de bem-estar. Isto é claro pelo uso do verbo, como, por exemplo, o estrago dos odres de vinho (Lc 5.37); a ovelha perdida, ou seja, perdida do pastor, estado metafórico de destituição espiritual (Lc 15.4,6, etc.); o filho perdido (Lc 15.24); o perecimento da comida (Jo 6.27), do ouro (1 Pe 1.7). O mesmo com relação às pessoas (Mt 2.13; 8.25; 22.7; 27.20); à perda da felicidade no caso dos não-salvos (Mt 10.28; Lc 13.3,5; Jo 3.15, em alguns manuscritos; Jo 3.16; 10.28; 17.12; Rm 2.12; 1 Co 15.18; 2 Co 2.15; 4.3; 2 Ts 2.10; Tg 4.12; 2 Pe 3.9).

    2 - kataluõ, formado de kata, para baixo, elemento intensivo, e o n. 4, "destruir totalmente", "subverter completamente", é verbo que ocorre em Mt 5,17 duas vezes acerca da lei); Mt 24.2; 26.61; 27.40; Mc 13.2; 14.58; 15.29; Lc 21.6 (acerca do templo); em At 6.14, diz respeito a Jerusalém; em Gl 2.18, fala acerca da lei como meio de justificação; em Rm 14.20, da ruína do bem-estar espiritual de uma pessoa (em Rm 14.15, o verbo appolumi, n. 1, é usado no mesmo sentido). Em At 5.38,39, acerca do fracasso dos propósitos; em 2 Co 5.1, da morte do corpo".

    Não sei a quem você chama de antiprotestantes ou mesmo se você se julga um protestante, uma que a doutrina expressa, quanto a imortalidade da alma, é a mesma apoiada pela reforma protestante, tirando claro adventistas que seguem a orientação de Ellen G White e dos Testemunhas de Jeová, levando em consideração que estes grupos não são protestantes no sentido técnico do termo.

    A proposito, não me irrito com tão pouco, até porque você não ninguém, não o conheço, não me incomoda. Continue tirando livros da bíblia, como esta fazendo com lucas por julgar o seu conteúdo espúrio, nisso você mostra a sua grande erudição! Continue sem conjugar os verbos, sem considerar as vozes, e as flexões do idioma grego, assim você me convence cada dia mais da minha ignorância frente a sua sabedoria.

    Quanto as aulinhas do seminário...acho que você não sabe bem do que esta falando, meu seminário foi muito ruim...pior do que o que você pensa, afinal não conheço nada de exegese, mas aprendi a flexionar o idioma...alias a falar o idioma.. coisa sem importância né? ....Acho que preciso mesmo aprender com você pelo menos da trafego no meu blog... que alias não é visto por ninguém...

    ResponderExcluir
  24. Confesso que achei essa discução muito interessante, gostaria de me dirigir a você, Rodryguez, algo para você refletir, quantos anos tem a igreja católica? Martinho Lutero era padre, logo essa bíblia que os protestantes dizem ser uma versão católica na verdade é a original, pois quem a alterou foi Lutero e não a igreja católica pegou a de lutero e a mudou, levando em consideração que a igreja catolica trouxe a bíblia desde o seu início, mas do que adiantaria ele promover algo que já existia, ele tinha que colocar coisas contraditórias para chamar a atenção, perto do fim dos tempos iriam aparecer falsos profetas, atualmente qualquer um funda uma igreja em qualquer lugar e estranhamente vemos a ganância tomando conta dessas igrejas, mas como é dito na bíblia ai de quem alterar uma só letra, e ninguém irá conseguir derrubar a igreja de Deus, passaram-se séculos e a igreja católica está e continuará de pé, não vou citar trechos da bíblia para debater porque cada um entende da forma que lhe convém, as pessoas enxergam o que querem e isso sempre será assim. Fica na paz de Deus!

    ResponderExcluir
  25. Quando estava ficando interessante acabou?

    ResponderExcluir

Não serão postados comentários de cunho ofensivo, e nem de ordem pessoal, peço aos leitores que se atenham somente ao assunto postado em questão. Rodryguez