sábado, 6 de novembro de 2010

O Pragmatismo da Fé

 

 

 

Segundo o Aurélio, pragmatismo pode ser conceituado como tese fundamental de que a verdade de uma doutrina consiste no fato de que ela seja útil e propicie alguma espécie de êxito ou satisfação.

Vivemos o mundo do mercado, da aplicabilidade, da justificação dos meios pelo fim. A igreja Cristã ao longo do século 20 foi corropendo o seu ideial, e passou a se preocupar com o mercado da fé, com a concorrência com outras igreja, e até mesmo outras religiões, os dons espirituais que deveriam ser usados na edificação da Igreja, ( há uma clara confusão entre edificação e crescimento númerico!) tem sido usado para vender o produto desta ou daquela denominação. O resumo de tudo isso é um tanto pragmatico, se está dando certo esta correto ou tem sido marcado como positivo.

Estratégias de marketing tem sido usadas descaradamente nas Igrejas, a pregação da palavra, deixou de lado o apelo doutrinário, e passou para o lado do discurso de sucesso empresarial.

Não faltam testemunhos de pessoas que prosperam na vida material, etc. Fico impressionado de que desapareceram os testemunhos de vida transformadas e salvas pelo poder do evangelho, desapareceram os testemunhos de transformação da família. Aliás o número de separações nas famílias cristas tem crescido assustadoramente e nunca na historia da cristandade foi visto um tão grande número de desviados, ou filhos de famílias cristãs vivendo no mundo das drogas, prostituição e crime, a margem da sociedade.

Laodiceia, a igreja advertida por Cristo no Apocalipse, vivia a falasa ilusão de sua prosperidade, dizendo-se rica e abastada e de nada tendo falta, foi severamente advertida por Cristo, que a considerou com: miseravel, pobre, cego e nú. E de todas as igrejas da ásia, era a unica que nada de bom foi achado nela! além de ter colocado Cristo para fora se sua realidade uma vez que ele não estava dentro da Igreja, mas fora batendo e esperando alguem abrir!

Como ja escrevi outras vezes acredito que Deus nos faz prosperar, mas não posso ver a prosperidade como sinal, de uma vida com Deus isoladamente, até porque não são muitos os ricos e poderosos chamados.

Ter dinheiro, saúde, prosperidade ou como diz a cantiga; “muito dinheiro no bolso, saúde para dar e vender”, é otimo, claro seria um louco se pensasse ao contrário, mas o maior entre os nascidos de mulher vivia pelos desertos e se alimentava de mel silvestre e gafanhotos.

Deu Certo? é bom? Otimo… Mas esta de acordo com a doutrina bíblica?

Nada do que der certo ou errado aqui neste mundo me assuta, até porque eu sei que o pleno estabelecimento das promessas de Deus, lidas e interpretadas dentro da sua esfera de tempo, cultura e propósito, somente serão realizadas, repito em sua forma plena, por ocasião do estabelecimento de novos céus e nova terra.

Dentro da ótica pragmática, tudo aquilo que não for útil ou relevante, àquilo que desejo e anseio, deve ser descartado. Daí, surge a linha interpretativa da teologia da prosperidade, do evangelho positivista, da libertação, que descarta partes das escrituras que contradizem àquilo que quer crer e fica com aquilo que convém.

Escolha os outros que parte ou que palavra querem ouvir, eu porém fico com integralidade da Palavra de Deus.

 

Rodriguez

Acompanhe também o blog da Igreja Internacional da Familia Crista http://somosfamiliacrista.blogspot.com

Nenhum comentário:

Chega!

São dois mil anos de história da Igreja, uma historia que começou por volta do ano 33, uma historia gloriosa, de lutas, perseguições, da...