sábado, 24 de setembro de 2011

O Valor das Escrituras

Olá amigos, pois é estive viajando esses dias e sem tempo para continuar compartilhando com vocês meus pensamentos e reflexões mas estou aqui de volta, e como não pode deixar de ser em cada lugar que passo vou meditando nas verdades bíblicas, vendo, aprendendo e refletindo.

Esses dias um fato curioso me deixou pensativo e me fez refletir muito, em minha cidade existe uma biblioteca que foi fundada por um padre, com ótimos volumes tanto seculares quanto teológicos, Tomas de Aquino, Agostinho, entre outros estão entre esses volumes preciosos da cristandade, e claro por ser tratar de uma biblioteca geral e não teológica, existem muitos volumes de vários pensadores desde Karl Marx, Engels, Gandhi e por ai vai enfim uma biblioteca!

Mas o curioso para mim foi que, no dia em que estava lá tinha um certo senhor cheio de conhecimento, dando uma verdadeira aula, sobre nova era, reencarnação, vida em outros mundos, exaltando o auto conhecimento e as obras como meios salvificos, desmisticando Cristo, de Deus para um avatar.

Mas a curiosidade não para ai, claro que sei que lá o espaço não é religioso, nem denominacional, é um lugar de cultura e ideias. É costume desta biblioteca, volta e meia dispor de alguns volumes em uma mesa no hall de entrada, volumes que não farão mais parte, por algum motivo do acervo, e ficam a disposição de quem os quiser adquirir é so pegar e levar embora.

Pois é, lá estava nesta mesa vários volumes de uma versão da Vulgata, para o português, do ano de 1965, copyright de Fratelli Fabbri Editori, Milão, Itália, e em língua portuguesa da Editora Abril. – rica em detalhes, explicações de hebraísmos e locuções gregas e comentários bíblicos excelentes . Que tristeza pensei, enquanto lá dentro um verdadeiro debate sobre uma religiosidade alheia a fé cristã se desenrolava, com muita atenção e um verdadeiro “amem” de quem assistia, lá fora uma preciosidade jogada por assim dizer fora!

Fiquei pensando no fundador, mesmo não partilhando das mesmas convicções religiosas que ele, sei que ele fez uma grande trabalho sei também que ele mesmo doou praticamente todo o seu acervo, para esta biblioteca, fiquei pensando nesta geração que se dizendo Cristã tem deixado de lado a palavra de Deus, indo após doutrinas estranhas. O que este Padre que fundou a biblioteca sentiria, vendo está versão da vulgata sendo assim, digamos, dispensada?

Também não pude deixar de pensar, que a bíblia vem sendo substituída em muitos púlpitos evangélicos, por livros de auto- ajuda, por doutrinas de homens, que cada dia mais estão como previa as escrituras dando ouvido a espíritos enganadores.

Uma vez a muitos anos ganhei de uma família judia da cidade de São Paulo, um pergaminho em hebraico, coisa de família datando quase 200 anos,  contendo o livro de gênesis, jogado estava uma bíblia versão almeida da época do império brasileiro,  com um português que hoje está arcaico, que também para seu possuidor nenhum valor tinha, e agora claro  eu não iria deixar passar esta oportunidade, peguei todos os volumes de uma vez só, e agora estão fazendo parte do meu pequeno acervo.

 

Que Deus tenha misericórdia de nós cristãos e nos ensine o caminho de volta ao valor das escrituras

 

Rodrygues & Carvalho

3 comentários:

jofema disse...

Um verdadeiro achado!!
Estava sentindo a falta das suas publicações!
Abraço!
Fernando Marin

Antonio Batalha disse...

Irmão Rodryguez muita paz, estive a visitar seu blog, ainda que eu já conhecia seu blog, mas tive de excluir meu blog, por não foncionar e perdi todos os amigos, nós tinhamos parceria. Agora construi outro blog semelhante, e desejava perguntar ao meu irmão se queria continuar a parceria, meu link é: http://antoniojabatalhaverdadequeliberta.blogspot.com/
Desejo que Jesus continue a dar-lhe muita graça e sabedoria, e que meu irmão seja sempre uma benção.

Antonio.

Anônimo disse...

Gostei muito do post,tenho uma irmã recentemente convertida que está muito deslumbrada com a bíblia e descobrindo como tudo faz sentido, a mesma anos a traz dava mais credito a pensamentos filosóficos variados e achava mais razão em religiões nada haver, sendo que tinha a bíblia na gaveta ao lado. Nós evangélicos somos multiforme em questões doutrinarias e linhas teológicas e muitas vezes discordamos, más é certo "que mais coisas nós unem do que nós separam". Fique na paz !
Dani Lima
http://berearepreciso.blogspot.com/

Chega!

São dois mil anos de história da Igreja, uma historia que começou por volta do ano 33, uma historia gloriosa, de lutas, perseguições, da...