sábado, 29 de março de 2014

Achei o Livro…

Então disse o sumo sacerdote Hilquias ao escrivão Safã: Achei o livro da lei na casa do SENHOR. E Hilquias deu o livro a Safã, e ele o leu. [2 Reis 22:8]

 

Comecei de novo minha leitura integral da bíblia, livro por livro estou lendo levítico por esses dias, conforme os anos passam as leituras vão ficando cada vez mais criticas e damos atenção as passagens que antes por algum motivo ignorávamos. Ganhei meu primeiro Novo Testamento da minha tia quando eu tinha 8 anos e idade e “devorei-o” em um mês. Depois disso ganhei um Evangelho Ilustrado com várias gravuras e em uma linguagem bem apropriada a minha idade, devorei-o também em poucos dias. Mas confesso claro que entendia muito pouco, porém a cada final de uma leitura eu era desafiado nas escolas bíblicas a começar uma nova leitura e assim tem sido até hoje.

Quando comecei a estudar no seminário aos 19 anos eu já estava familiarizado com os livros da bíblia, e já tinha um certo conhecimento doutrinário graças as aulas da escola bíblica dominical que eu assiduamente frequentava.

Lembro ainda dos “debates” que meus tios (professores de EBD, pastores, etc.) faziam em casa sobre temas acalorados abordando assuntos como a trindade divina, escatologia, e como assembleianos tradicionais que eram não podiam faltar um pouco de ensinos sobre usos e costumes.

Meu avô foi batista, e exerceu uma espécie de ministério de evangelista leigo, pregando nas praças publicas do nordeste do país e exercendo funções pastorais nas ausências do titular.

Enfim tive a oportunidade de sempre ter comigo a proximidade com a Bíblia e hoje com 40 anos percebo uma certa frieza no que diz respeito a leitura e familiaridade com as Escrituras por partes de muitos cristãos. Muitos paradigmas estão estabelecidos em nossos dias, e a bíblia mesmo estando intacta com relação ao seu texto escrito não o esta no coração de muitos, pois conhecem apenas os textos isolados, retirados do seu contexto e fazendo apologia a pretextos que muitas vezes destoam das verdades bíblicas.

Me lembro que ainda criança eu via meus tios com seus dicionários e concordâncias procurando o máximo entender os textos nos seu contexto, e um tempo depois viam meus primos mais velhos se esforçando como podiam para estudarem as línguas originais e assim darem prosseguimento na herança de compreender cada vez melhor os contextos bíblicos. Meu avô de tanto que lia, alinhando a sua cultura nordestina com a participação da minha avó compunham versos da bíblias capitulo por capitulo e livro por livro!

Não éramos de nenhuma família com formação teológica acadêmica, mas eram entusiastas na leitura da bíblia, e acreditávamos que a leitura da bíblia por si é capaz de conduzir o homem ao conhecimento da salvação, e por isso distribuíamos bíblias como presentes aos nossos amigos não cristãos, me lembro de um caso em especial de um colega de trabalho que eu mesmo presentei com uma bíblia e ele a leu compulsivamente e foi entendendo por si algumas questões fundamentais a salvação.

Temo que estamos deixando de ser o povo do livro, como dizem os islamitas e estamos´passando a ser o povo dos versos isolados, das abreviações textuais que tanto causam dano a verdadeira fé.

Tem algo estranho em nosso meio, cultos sufocados com tantas apresentações e pouco espaço para a palavra, hinos que não estão mais fundamentados na palavra, vidas que não seguem mais a sã doutrina até porque não a conhecem e não tem interesse em conhece-la. O mais engraçado disso tudo é que todos procuram um texto, onde possam fundamentar suas atitudes, outro dia um amigo esteve aqui falando sobre a importância do ministério dos levitas na Igreja, etc. Cheio de textos bíblicos, e deu um certo trabalho ele entender o ministério dos filhos de Levi, que não era só o canto e deu muitos mais trabalho ele entender que tal ministério não existe mais…

Enfim como disse comecei de novo minha leitura, muito mais criticas do que das vezes anteriores, critica, não porque eu procure falhas no texto ou procure descobri alguma verdade “TEOLOGICA” nova, etc. Digo critica porque vejo a minha vida, reflito e procuro pela transformação, No Genesis percebi o mal causado pelo pecado e sua capacidade de se estender nas descendência humana mas vi também a fidelidade de Deus na vida de homens como Noé e os demais patriarcas, e percebi a importância que Deus da para a aliança. No êxodo novamente percebo a importância do Cordeiro de Deus, não só para livrar Israel do Egito como para aplacar a ira de Deus nos 40 anos de Deserto, e no Levítico que estou lendo hoje, a santidade que é necessária para se continuar andando com Deus.

Minha esperança enquanto leio é mas alguém no meio da fé dita evangélica, seja surpreendido algum dia e grite para todos os lados: “Achei o Livro”

 

Rodryguez & Carvalho

Nenhum comentário:

Questões Loucas!

"Não ir alem do que está escrito" I Corintios 4.6... De uns tempos para cá tenho notado nas pregações dos púlpitos...