quinta-feira, 31 de março de 2011

Porque Didaquê ?

Você que acompanha este blog, já deve ter se perguntado algumas vezes qual a origem e a razão do nome DIDAQUE, este nome vem de um vocabulo grego que significa ensino ou origem, sendo didaque a a origem das palavras portuguesas como didatico. (ensino), Mas o “Didaque”  ou ensino dos doze Apostolos foi uma especie de Manual de Doutrina, escrito por Cristãos ainda no  primeiro século, que tinha como vista, regular principio de conduta e liturgia na nascente igreja cristã, com base no entendimento nas palavras e ensinos apostolicos.

Claro que como escrito o “Didaque” não tem o mesmo valor de documento inspirado das escritutas, porém mostra como os primeiros cristãos já se preocupam em preservar de forma escrita e  doutrinarias os ensinamentos apostolicos, em fase as crescentes heresias gnosticas que começam a florescer ainda no primeiro século.

O “Didaque” desta forma é composto de várias citações apostolicas e evangélicas o que mais refletir de forma pessoal que tudo o que ainda precisamos atualmente é de mais conhecimento das escrituras sagradas com suas citações e passagens, do que de estranhos argumentos racionalmente montados para defender estes ou aquele ponto de vista, em resumo precisamos da simplicidade das palavras dos apostolos e evangelistas.

Algumas Citações do Didaquê:

Conteúdo

 

Última página do Didaquê

Nos escritos da Didaquê, além da doutrina e liturgia cristã, o evangelho de Jesus é recomendado. A Didaquê também cita a oração do “Pai Nosso” como sendo “ensinada pelo Senhor” e finda com a afirmação em consonância com o livro Apocalipse, do Novo Testamento, de que Jesus voltará:


... conforme foi dito: "O Senhor virá e todos os santos estarão com ele". Então o mundo assistirá o Senhor chegando sobre as nuvens do céu."

 

Nos escritos da Didaquê também são reforçados o batismo no nome do Pai, Filho e Espírito Santo


Que ninguém coma nem beba da Eucaristia sem antes ter sido batizado em nome do Senhor, pois sobre isso o Senhor [Jesus] disse: "Não dêem as coisas santas aos cães"

Tais escritos também sustentam argumentos de que existiam escritos do primeiro século apoiando a defesa da tese teológica de que Jesus é Deus.

Sobre questões polêmicas como o batismo, adverte para o batismo em imersão; sendo admitido por aspersão na inexistência de água corrente. A

Didaquê também acentua a disposição ao jejum por parte do candidato ao batismo e daquele que o vai batizar por cerca de três dias antes do batismo.

Nos escritos da Didaquê há uma similaridade quando se referencia ora ao Pai como o Senhor, ora a Jesus como o Senhor, o que é aceito por alguns como a interposição entre as duas pessoas. Também fazendo a distinção de pessoa chamando Jesus de servo do Pai.

A Didaquê faz registro da celebração da ceia:


Reuni-vos no dia do Senhor, para romperdes o pão e dardes graças...

A Didaquê cita diretamente ou faz menção indireta a diversos livros do novo testamento: Mateus, Lucas, I Epístola aos Coríntios, Hebreus, I Epístola de Pedro, Atos dos Apóstolos, Romanos, Efésios, Carta aos Tessalonicenses e Apocalipse

 

Rodryguez e Carvalho

Um comentário:

CORAÇÃO QUE PULSA disse...

Que os ensinamentos(DIDAQUE) deixados aqui, sejam PERGAMINHOS SELADOS num coração ferido ou sem DEUS.
Obrigada pela visita...
Até que enfim DIDAQUE no meu blog!!!!kkkkkkkkk
FICA COM DEUS.

Chega!

São dois mil anos de história da Igreja, uma historia que começou por volta do ano 33, uma historia gloriosa, de lutas, perseguições, da...