sábado, 6 de setembro de 2014

Eleições: O Estado é Laico o Individuo Não.

 

Querendo ou não, os evangélicos alcançaram uma expressiva respeitabilidade religiosa e politica no cenário brasileiro, sendo mesmo impraticável pensar em democracia e politica sem levar em consideração o ativismo politico evangélico. Este ano em especial temos a candidatura oficial do Pastor Everaldo ligado as Assembleias de Deus e também o da Missionária Marina Silva também ligada as Assembleia de Deus no pais, Igreja que apesar de estar multifacetada em vários ministérios, esta ao mesmo tempo ligada, pela sua doutrina, costumes, hipnologia e história. Agendando mais de 12 milhões de pessoas em território nacional. Sendo que o total de evangélicos no pais pelo censo 2010 são de 42 milhões.

Existe um certo incomodo quando se fala de religião e politica juntas, porém em todas as civilizações a religião teve um fator importante na vida politica, assim o foi no crescente fértil, índia, romã, Grécia. E assim também o foi na Europa Crista Católica ou Protestante.

Alguns dizem que politica e religião não se misturam, mas tal afirmação depende muito do ponto de vista, acho quase impossível separar os conceitos morais, éticos e doutrinários de um religioso de sua vida secular. O Estado pode e deve ser laico, porém o individuo que forma este estado não o é. É um direito legitimo do cidadão no gozo de suas liberdades individuais concorrer a um cargo politico, sendo ele Pastor, Padre, Rabino, etc. E também é dever das igrejas orientar seus membros quanto sua doutrina e visão, e porque não, visão politica?  Sendo um direito do membro enquanto cidadão escolher quem melhor lhe parecer, concordar ou não.

Oramos por aqueles que estão em posição de autoridade, tenham eles a nossa fé ou não, e na hora do  pleito eleitoral, oramos mas também somos livres para fazermos nossas escolhas de acordo com nossas convicções.

Durante muito tempo o publico evangélico foi cortejado por diversos candidatos, e agora tem candidatos evangélicos na disputa pela presidência. Engana-se porem quem pensa ou quem levianamente diz que teremos um país politicamente evangélico e fundamentalista. Tal afirmação reflete um pouco de ignorância ou maldade, este pais é composto por mais de 123 milhões de católicos entre outras crenças, e o voto evangélico representa 30% e não a totalidade. A presidência não tem poder absoluto, existem senado, câmara, governos estaduais, municipais, etc. Porém nossa expressividade a muito tempo ignorada, deverá ser levada em conta em cada decisão e rumo deste pais, antes não, mas agora estamos na mesa das negociações.

Espero que neste ano eleitoral tão importante para esta nação os cristãos evangélicos, peçam sabedoria a Deus e votem de acordo com suas convicções do Reino de Deus.

Não vamos deixar de lado nossas responsabilidades como cristãos e cidadãos. Prestemos atenção a parábola de João! Juízes 9.7-15

 

Rodryguez & Carvalho

 

 

 

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
António Jesus Batalha.

Questões Loucas!

"Não ir alem do que está escrito" I Corintios 4.6... De uns tempos para cá tenho notado nas pregações dos púlpitos...