Programa Adoradores sem Limites

sábado, 1 de dezembro de 2012

Sobre os ombros dos gigantes.

91 anos de idade e 71 anos de entrega a Cristo! Pastor, Pregador da Palavra esbanjando um vigor “pentecostal”, que muitos em tenra idade não possuem!

Esse ancião foi o nosso preletor ontem, que com muita habilidade e lucidez nos ministrou uma palavra como base no Salmo 101:06 – A memoria de um homem é um forte legado, e ouvir e poder registar isso é uma honra para nós que estamos começando a trilhar o evangelho. Muitas coisas trouxe eu comigo ontem desse culto, algumas frases e afirmações que irão me ajudar a nortear a minha vida ainda mais quero aqui registrar algumas falas que achei serem muito edificantes:

 

  • “Antes eu me apresentava como pregador e pastor, aprendi com o tempo que o importante é apresentar o verdadeiro professor, pastor e ensinador que é o Espírito Santo de Deus”
  • “A palavra de Deus quando pregada por si só possui virtude, é essa virtude, esse poder que invade a mente e coração, e é capaz de causar transformações e conversões em que há ouve”
  • “A igreja como templo, não é caminho, mas antes de tudo uma escola, que ensina as pessoas a vontade de Deus, e o caminho do céu, engana-se quem faz da Igreja /templo um fim em si mesmo e acha que ira salva-se por ir congregar apenas, nosso dever é aprender as lições que nos são ensinadas e aplica-las na vida diária”

O culto foi assim se desenrolando a pregação foi sendo ministrada, o amor de Cristo de sendo revelado, e no final algumas pessoas se decidiram por Cristo.!

Mas sentado comigo no púlpito, outro pastor com mais nos seus 80 anos e mais de 40 de serviço Cristão, esse já não tão vigoroso, com dificuldades para ler, em sua saudação foi falando os versículos de memoria, uma benção! Depois sentado ao meu lado, o tempo todo,intercedia pelas pessoas não cristãs em nosso meio para que as algemas espirituais caissem e houvessem conversões, falava baixinho mas como eu estava do lado pude ouvi-lo! Fui assim me deliciando coma pregação de um e a firmeza intercessória do outro.

Aprendi dois importantes valores, que eu já sabia, mas precisei de outra lição! Uma a integridade do pregador em relação com sua mensagem e outra a necesidade de orar sem cessar!

Não é toa que pessoas assim deixam marcas poderosas em sua pasagem pela vida ministerial, com um legado de conversões, curas e transformações de vida.

Aprendi que compor o pulpito ou ter uma função ministerial e muito mais do que apenas dirigir ou conduizir um serviço de culto é antes do que tudo, ser um canal de benção e verdade, para quem ali está presente.

Ao termino do culto, fui lá conversar com o ancião e aprender um pouco mais sobre os trilhos da fé, já me propus a nos proximos dias tendo a oportunidade de conversar ainda mais com ele, quero como um discipulo ouvir suas palavras e atenciosamente ir anotando os seus registros.

Existe uma frase de Sir Isaac Newton, sobre seus descobrimentos cientificos e teorias: “Se eu vi mais longe, foi por estar de pé sobre ombros de gigantes.” – Quero aplicar esse mesmo mesmo principio e subir nos ombros dos gigantes espirituais que me antecederam, não apenas os de vulto na história eclesiastica, como Calvino, Lutero, Agostinho, Ambrosio, Crisostomo, Irineu, Policarpo, Jonh Wesley,  entre outros. Mas também nos ombros dos gigantes anonimos que com efeito tem derrubado portas, ateado fogo nas searas e libertado os cativos conduzindo-os a Cristo.

Ontem tive a oportunidade de conhecer um desses gigantes.

Rodryguez&Carvalho

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Navegue com cuidado!

A Internet tem sido um ótimo canal de comunicação e divulgação de ideias. Porém nem tudo o que nela está pode ser considerado como verdadeiro. Pessoas inescrupulosas usam-a como ferramenta de discórdia, detrimento e difamação. Navegando por ai, nessas ondas as vezes revoltas da internet, encontraremos alguns monstros marinhos, rochas, recifes e condições climáticas que tendem a naufragar os mais incautos.

Falsos faróis também tem se levantado nesse meio, muito comum ver vídeos com este titulo tão chamativo: “A VERDADE SOBRE…” seguidos por informações tendenciosas.

Conversando com meu Pastor esses dias, estávamos discutindo a proibição de nossa Convenção em se gravar vídeos, sobre nossas decisões e atividades convencionais. Motivo simples, vídeos podem ser editados, manipulados, dependendo do grau de habilidade de quem os manipula até o áudio pode ser trocado por outro.

Não é de admirar, se  alguns torcem textos das Sagradas Escrituras, colocando texto fora do contexto, quanto mais vídeos e áudios, infelizmente na internet as coisas tomam uma dimensão de realidade.

Imagine você exercendo o seu direito politico e se candidatando, Cristão, com suas convicções e com a certeza de que em um cargo politico, você poderá servir melhor a causa do Reino de Deus. Imagine que venha, por força da campanha a dividir palanques com pessoas de outras religiões, costumes e praticas. Imagine agora que  alguém filmou você lá, editou a parte que quis fora do contexto e agora anda espalhando vídeos dizendo que você apostatou da fé, provando isso com imagens desfocadas suas, ao lado de certas pessoas!

Essas e outras situações são fáceis de serem imaginadas

Conheço cristãos sinceros que tem sido alvo destes ataques e conheço as situações que isso se deu.

Outra situação: Imagine um momento especial no culto em que seu pastor ou líder agradecendo a Deus pela ofertas recolhidas e explicando como serão usadas, resolve mostra ao vivo e a cores o montante arrecadado pela congregação e alguém filma, pronto já dirão que ele estava pegando o dinheiro para si, se valendo para enriquecimento ilícito, mas não dirão que a congregação toda estava ali, e que depois o fim para tal arrecadação foi concluído.

Isso sem contar os caçadores de simbologias, que vivem atrás de qualquer triangulo, esquadro, silhuetas, pisos, espirais e outras coisas para dizer que igrejas ou pessoas estão relacionadas ao ocultismo, não que isso não possa existir, mas o que vemos por ai é um exagero irresponsável, da parte de quem essas noticias espalha.

Paulo, apostolo usou frases e máximas de pensadores gregos, nem por isso o identificamos como estoicos, epicureu ou outra corrente filosófica, porque conhecemos o contexto de tais passagens sua vida e obra através de suas cartas.

Que nestes mar revolto chamado internet, tenhamos a bussola do Espirito Santo, para navegarmos com seguridade.

Rodryguez&Carvalho

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Não Amei o Mundo

“Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Tg 4.4

 

 

Lendo a história da Igreja, pesquisando aqui e ali, fica fácil de perceber como que certas festas e culturas pagãs foram se enraizando e sincretizando no cristianismo, reduzindo a sua mensagem de mudança de vida e o enfraquecendo.

Não é sem motivo que no seu grande momento histórico em termos de quantidade de reinos cristãos na Europa a mesma se encontrasse em trevas espirituais e materiais.

A tendência da mistura sempre existiu, dede que a massa do cristianismo foi lançada, o fermento ou do farisaísmo ou do paganismo sempre rodeou a Igreja. Paulo já se esforçava em escrever aos cristãos de Corinto, sobre a participação e comunhão nas festas pagãs, Pedro insistiu advertindo os cristãos que eram peregrinos e forasteiros, e Joao exorta a Igreja e diz que quem ama o mundo o amor do Pai não está nele, e Thiago diz que, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.

Lendo os escritos desses apóstolos percebo que a significativa parte dos cristãos ainda não entendiam a sua vocação no evangelho, sua chamada para santificação  e nem muito menos a realidade da vida eterna.

O mundo grego-romano com seus deuses, festas e luxurias deveria ser negado. O império das trevas não poderia de forma alguma exercer influencia sobre os filhos da luz. Uma vida recatada, santa e exemplar era o objetivo em vida, daqueles que foram tirados dos reino das trevas e trazidos para a maravilhosa luz.

A igreja não deveria nem ao menos fazer paralelos, simplesmente negava o mundo e sua forma de ser, não deveria seguir o seu curso.

Medidas e atitudes assim são sempre impopulares. já ouvi certas lideranças dizendo que se apertarem na doutrina bíblica, o povo vai esvaziar a igreja então é melhor deixar o “ Espirito Santo” agir! Mas como alguém crerá se há quem pregue? Não o Líder responsável pelo alimento espiritual do seu rebanho? Ou preocupa-se apenas com a lã?

Laodicéia  foi a igreja que casou com o mundo em todos os sentidos, a cultura mundana foi tão forte que influenciou o pensamento dos cristãos laodicenses, resultado disso, achavam-se ricos, eram pobres. Achavam-se curados demais, eram cegos, miseráveis  achavam-se vestidos e diante de Cristos estavam nus. Pior essa igreja tinha colocado Cristo para fora se suas portas, de modo que Ele clamava: “eis que estou a porta e bato”.

Estes dias li a biografia de Moody,  enquanto Moody se esforçava para pregar o evangelho, outro grupo acreditando que teria mais êxito promovia jogos de baralho e xadrez com a intenção de “atrair” mais jovens a Cristo! A historia está ai e nos provar qual foi o método que prevaleceu, se a pregação de Moody, com seus apelos a mudança de vida radical, ou o evangelho adulterado de outros. Moody influenciou sua geração, marcou seu tempo e ganhou almas para Cristo, os outros apenas trouxeram uma inovação que com o tempo se mostrou daninha e sem frutos verdadeiros.

Ao futuro morador da cidade celestial, requer que ele se porte como o tal, vivem do nesse mundo como se não vivesse nele, não se deixando influenciar por nada nem se seduzindo os manjares babilônicos, mas a semelhança de Daniel e seus amigos, em tudo se guardando sempre olhando para a Jerusalém celestial, pois a nossa cidade está nós céus.

 

Rodrigues&Carvalho

sábado, 17 de novembro de 2012

Anunciando o Salvador para todos.

 

“A discriminação é pecado, pelo simples fato de nos negarmos a pregar a palavra na sua forma plena aos que achamos mais pecadores do que os outros”

 

Conheci um rapaz, um colega de trabalho já fazem alguns  anos. Esse rapaz na época era fortemente discriminado por sua opção sexual, uma vez que era homossexual. No trabalho nossa líder e sua auxiliar, discriminavam, perseguiam e provocavam o rapaz, diziam abertamente que odeiavam “gays” e usavam outros termos mas chulos. Muito embora as duas também fossem homossexuais!

O rapaz era discriminado de forma gratuita, sem nada ter feito. Suas anotações de trabalho e relatórios um dia foram jogados no chão pela dita supervisora que disse que seu trabalho era um lixo! – Eu sempre observo e considero as coisas a minha volta. E também estive observando estes fatos.

A discriminação foi se espalhando pelo escritório e logo todos os colegas de trabalho estavam de alguma forma se afastando desse rapaz, evitando ele nas conversas, nos horários de almoço, evitando até pegar o mesmo ônibus para voltar para casa, carona então nem pensar! Enfim o rapaz virou alvo de todos. Se dizia na época que iriam força-lo  a se demitir pois ninguém queria esse tipo de gente por perto!

Num dia qualquer todos saíram para almoçar e percebi que o rapaz, ficou isolado, ninguém o convidou para ir, e eu o chamei para irmos almoçar, percebi nele uma certa mistura de alegria por sido chamado, mas também um pouco de constrangimento, afinal ninguém o chamava e ele vivia isolado.

Entre uma conversa e outra, descobri ele estava passando uma situação muito delicada, a noite trabalhava para uma cafetina da cidade, e se travestia de mulher, a cafetina o ameaçava e coagia, porque ele até então sem casa precisa morar com ela, e quando ele não arruma o dinheiro que ela queria, ela o surrava!  Importamnte dizer aqui na na época ele era um jovem com apenas 18 anos.  Ele tinha conseguido esse outro emprego em nossa empresa com a intenção de conseguir dinheiro, fazer um curso de cabelereiro e conseguir tocar sua vida com dignidade, mas como tinha que trabalhar dia e noite, e não podia deixar de levar o dinheiro da cafetina, foi aos poucos também entrando no mundo das drogas pesadas, pois alem da droga tiver o seu sono era uma fuga da realidade.

Esse era o motivo por ele era odiado pelo demais, pelo fato e além de ser gay ser também transformistas e andar pela ruas conhecidas como ponto de prostituição da cidade a noite em busca e clientes!

Bom não sei como ele entrou nessa vida, mas quando o conheci essa era a sua realidade.

Os anos passaram e estes dias estou em culto em uma das nossas congregações, e vejo um rapaz, com uma bíblia na mão, um hinário, e apresentado como visitante não evangélico,  muito atencioso com relação ao culto e a palavra pregada, eu mesmo, pois estava sentando próximo o ajudo a encontrar na bíblia as passagens citadas nas leituras bíblicas. E para minha. admiração é justamente esse rapaz, que citei , a mesma pessoa, sentado próximo de mim no culto!

Jesus a todos atraia, não os condenava no sentido de julga-lós e dar a sentença, pois esse não era o seu ministério, nem a sua função naquele tempo, como também não o é da Igreja o julgar e sentenciar. Jesus também não se omitia de pregar a verdade e orientar as pessoas para que não pecassem mais. Mas percebemos que muitos párias da sociedade viam em suas palavras e ensino a Luz, que guia o homem a Deus, que o recompõe, o faz nascer de novo e lhe da um novo sentido na vida.

Vivemos a época dos direitos, diretos dos idosos, das crianças, das mulheres, negros, índios, pobres, homossexuais e minorias religiosas. O ser humano clama não pelo direito de se sobrepor sobre os demais, mas pelo direito de ser visto como igual, com acesso as coisas básicas dessa vida. Não levanto nenhuma dessas bandeiras, mas entendo que abusos tem sido cometidos. Não apoio causas isoladas, sei que o problema da humanidade é falta de Deus.

Me preocupo com alguns posicionamentos que vejo de cristãos em relação aos homossexuais, percebo ódio e intolerância, como estes fossem uma classe pior de pecadores e sua salvação fosse algo de muito difícil ou até mesmo impossível, desse modo a palavra que deveria salva-lós acaba por afasta-lós. Alias já ouvi pregadores dizendo que a salvação de um homossexual é imposivel, porque Deus se afastou deles, outros ao invés de orarem pelas almas ficam com piadinhas imorais agindo iguais ao mundo, Sei que disso Deus não se agrada!

Tenho posições firmes, e acredito no que a bíblia diz a esse respeito, com também creio no que diz a respeito dos mentirosos, dos enganadores, dos idolatram o dinheiro e o poder, enfim dos que vivem na pratica do pecado, seja ele qual for.  Dos que usam sua posição para oprimir os demais, aliás a opressão é algo que não combina com a graça de Deus expressa na pessoa de Jesus Cristo.

Fico triste quando a Igreja celebra a conversão de um homossexual, alardeia o fato, com se isso fosse impossível, pois vejo nisso uma ponta escondida de descriminação. Também fico triste e duvido de alguns posicionamente de certas lideras em torno do assunto, penso que o proposito é mais eleitoreiro do que religioso. Fico alegre quando qualquer pessoa se converte, independente de quem seja, pois vejo nisso o milagre da salvação onde Cristo é tudo para todos.

Não mudaremso a sociedade a nossa volta com imposições, mas sim com ações da piedade cristã, com a pregação genuína do evagelho, se queremos mudanças reais devemos começar a ser cristãos reais, equilibrados entre o amor ao proximo e a pregação da verdade. Mas creio que a nossa dificuldade reside no fato de que não vemos o proximo como a nós mesmo, não now identificamos, não nos colocamos na situação, e por isso não amamos o proximo como a nós mesmo.

Tenho muitos colegas de trabalho homossexuais, um outro dia eu disse para um deles  não concordava com suas praticas, mas que o respeitava como humano e que se precisava podia contar. Outros pedem oração e oramos. E assim seguimos pregando a Jesus Cristo para todos, não para que fiquem como estão mas para que experimentem em Cristo o milagre do novo nascimento!

Que possamos ser equilibrados, denunciando o pecado e amando ao pecador, apontando sempre o caminho, e não escolhendo qual o tipo de pecado/pecador que terá acesso aos nossos cultos e a nossa palavra. Façamos nossos cultos de oração, comunhão e ceia, mas não nos esqueçamos da importância do culto publico onde anunciamos Jesus a todo o homem, independente de quem seja.

Como diriam os antigos pentecostais: Jesus Salva, Jesus Cura, Jesus Liberta!

 

Rodriguez&Carvalho.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Vida intima com Deus

Já compartilhei com meus amigos que nasci em um lar Assembleiano bem tradicional, e que meu avô foi pregador leigo Batista, ajudando a abrir algumas Igrejas no interior de Pernambuco.´Algumas coisas eram cultivadas em casa  uma delas era o culto domestico, papai trabalhava de dia e minha mãe nos reunia todos os dias à tarde, eu e meu irmão para orarmos, lermos a bíblia e louvarmos ao Senhor, ora com um hino do cantor Cristão, herança do meu avô, ora com os hinos da harpa Crista, e também alguns hinos avulsos.

Pode parecer até engraçado, mas meu tio quando seus filhos o desobedeciam, eles os corrigia com a leitura de um texto bíblico e o castigo deles era decorar algum salmo, acreditava ele que assim a palavra de Deus iria se enraizando em suas mentes, pois de acordo com meu tio tudo o que  faltava no homem, criança ou adulto era o temor a Deus e a sua palavra.

Aos 9 anos  ganhei um novo testamento da minha tia, e o devorei, lembro que comecei na primeira frase de Mateus e fui lendo e em pouco mais de um mês eu havia lido o novo testamento.Verdade que eu não entendia muita coisa, mas tinha e tenho ainda gravado em minha mente várias passagens bíblicas. Aos 12 anos desafiado pela escola bíblica dominical li  a bíblica completa.

Mas o que mais me marcou desse período eram as orações, quer fossem em casa, na casa do meu avó ou na Igreja. Meu Pastor, resolveu abri um dia só para as orações com as crianças e um obreiro que nos conduzia, lembro que oravamos até nossos joelhos doerem! Isso sem falar de outros trabalhos como evangelização, me lembro que uma vez fui ameaçado por marginais, eu tinha 12 anos, eles tomaram meus folhetos e rasgaram. Não fiquei com medo, pelo contrario nessa idade eu já tinha noção dos valores espirituais e tinha a convicção que morrer era estar com Cristo.

Cresci, passei por vários percalços no caminho, mas a fé que foi ensinada foi o que me manteve de pé.

Me preocupo quando vejo, cristãos que não oram, não consagram suas vidas, vivem uma vida ritualística entre idas e vindas pro culto, e muitos trocaram os valores como jejum e oração pelos movimentos gospel.

Não sou saudosista e nem estou falando que minha geração é melhor que a nova geração, até mesmo porque ainda existem muitos que levam a sério os valores espirituais. Mas o perigo existe e ele é real, muitos deixaram de ser crentes de pratica, de modo de vida, e passaram a ser apenas membros arrolados em alguma Igreja.

Mas Deus tem seus planos, e nunca deixará que a Igreja por ele comprada venha a se desintegrar.Tem alguns meninos na Igreja que sempre os observo, tem muitos que oram, outros que são assíduos nos trabalhos e dão testemunho Cristão, fico pensando como devem parecer alienígenas tanto para os de fora como para os de dentro.

Ouvi uma Pedagoga, falando sobre a forma de aprendizado do ser humano e em especial das crianças, discorrendo sobre as sinapses nos neurônios etc. Ela disse algo que me chamou a atenção, que a criança tem grande capacidade de assimilar o que os adultos fazem, começam imitando e logo estão agindo de forma similar. Um dos meus sobrinhos sempre que tem medo de algo, ou se assusta corre para o quarto, ajoelha e ora, ele tem apenas 7 anos e já faz isso desde os cinco anos! Exagero? Não! Temor a Deus, isso sim.

Engraçado, as vezes escuto umas coisas e me pego dando risadas sozinho, é um habito  feio que eu tenho"! Ouvi um pregador esses dias falando sobre mover montanhas, expulsar demônios, ser vitorioso, usou várias frases de efeito, parecia até o super homem, mas não ousou falar sobre a oração e jejum!

Que todos nós possamos descobrir o valor da oração, deste contato intimo com Deus, e mesmo que seja na agonia do Getsamani, possamos vigiar em oração.

Orai sem cessar!

 

Rodryguez&Carvalho

Fazendo-se ouvir.

 

A Importância da Pregação.

Lendo a palavra de Deus, ouvindo e examinando as escrituras fui percebendo o valor da voz e dos sentidos na propagação do evangelho, em certas ocasiões como ouvintes e em outras como comunicadores. Não raras vezes encontramos a expressão, “quem tem ouvidos para ouvir ouça”, e também são celebres os discursos de Jesus diante das multidões, que acompanhavam os seus ensinos, bem como os apóstolos pregando nas sinagogas ou nas praças.

A Palavra Escrita, toma outra dimensão quando é falada e ensinada, de forma vocal. As palavras devem estar escritas para serem preservadas ao longo dos séculos, mas devem estar na mente e no coração e boca, para que surtam o seu devido efeito.

Conversando com um psicólogo amigo, ele me disse que poderíamos resumir de forma breve a mente humana, como um grande oceano de palavras, palavras agora como expressão de pensamento em níveis conscientes e inconscientes. E pensando sobre isso fui percebendo o esforço dos profetas, apóstolos, entre outros que se esforçavam para incutir nas mentes a Palavra de Deus. Verdadeiro é o conselho de Paulo quando diz para que ocupemos a nossa mente, como coisas proveitosas e espirituais, não quero ir para esse terreno mas penso logo em neurolinguística.

Lendo outro artigo esses dias fiquei sabendo que as palavras escritas alcançam até 7% de nossa atenção, as faladas 33% e aquilo que nos  é transmitido acompanhado da expressão corporal correta assimilamos mais que 70%! Não é a toa que os profetas bradavam e quando precisavam, faziam ações proféticas e pedagógicas, de forma a chamar a atenção do povo, para sua mensagem.

Fico feliz, pois o ministério Cristão conta com bons pregadores mestres na arte do falar, e que sabem se expressar com clareza, seja leitura, na explanação do texto ou da ideia, ou ate mesmo nas suas ações fisionômicas e corporais na pregação. Por outro lado fico apreensivo, pois ciente fico da responsabilidade.

Jesus, é chamado por João de o LOGOS de Deus, logos como palavra, como expressão de pensamento, e Jesus por sua vez, mostrava o Pai em suas palavras e ações. Não apenas pelos milagres que acompanhavam seu ministério, mas principalmente pelo seu ensino com autoridade, pelas suas palavras de vida Eterna.

Alguém já disse que Jesus é tema principal das Escrituras, O Logos de Deus,. Infelizmente vejo alguns que pregam muita coisa, falam de si, falam do mundo, de tantas outras coisas  fúteis, mas não falam de Jesus.

Seria salutar se os pregadores do evangelho, entendessem que a pregação, vai além da palavra lida e dos sermões escritos, isso faz parte, mas a pregação deve fazer parte da nossa filosofia de vida, Palavras Lidas e vividas com intensidade, tem muito mais poder quando são pregadas.

Alguns anos atrás em uma cidade de Minas próxima a São João Del Rei, conheci um obreiro Cristão que não sabia ler e escrever, completamente analfabeto. Mas a fé vem pelo ouvir, e ele um dia ouviu a palavra de Deus, e agora era um pregador, pregando texto que ouvia outras pessoas falarem, não sei talvez você duvide, mas esse pregador leigo, bem leigo mesmo, trazia consigo conceitos exatos da fé, falando com propriedade sobre o ministério de Jesus sua morte e sua ressureição, eu mesmo ouvi sua pregação e fiquei  maravilhado.

Pregação boa não é aquela, que as pessoas admiram que elogiam, aquela que trás glória ao pregador, que é certeza de uma boa receita ao final (Jesus nos livre dos tais), nem é aquela cheia de recursos de oratória (muito embora seja valido). A boa pregação do evangelho é aquela que leva os ouvintes a reflexão verdadeira e a mudança de vida.

 

“E, quanto mais sábio foi o pregador, tanto mais ensinou ao povo sabedoria; e atentando, e esquadrinhando, compôs muitos provérbios.Procurou o pregador achar palavras agradáveis; e escreveu-as com retidão, palavras de verdade.As palavras dos sábios são como aguilhões, e como pregos, bem fixados pelos mestres das assembleias, que nos foram dadas pelo único Pastor.”

Eclesiastes 12:9-11

 

Rodryguez&Carvalho

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Peregrinos e Forasteiros

 

Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma; I PEDRO 1:11

 

Um peregrino ou forasteiros nunca era muito bem visto nas sociedades grego-romanas, sempre discriminado com um número muito diminuído de direitos.

Normalmente o peregrino, muito embora peregrinasse por um tempo indeterminado, não tinha por intenção nas terras de sua peregrinação fixar  residência, e sendo assim mantinha vivo os seus costumes, tradições e “modus vivendi”

Não é sem motivo que Pedro se refere aos cristãos da dispersão como peregrinos e forasteiros. O cristão passou a ser visto como um, “xenos” estrangeiro no mundo de sua época, objeto de desconfiança e muitas vezes xenofobia. Se negavam a adorar Cesar como se este fosse uma divindade, se negavam a participar da festas e comidas em homenagem ao deuses do império. Tinha crenças peculiares como a crença na ressureição dos mortos e afirmavam que Cristo, o seu Deus e Messias,  de fato ressuscitou dentre os mortos, sendo isso escândalo para os Judeus e loucura para os gregos.

Nas comunidades cristãs, parece que a ordem natural das coisas da sociedade cheia de tabus e divisões sociais não tinha o mesmo sentindo, pois um escravo poderia ser pastor, presbítero quem sabe até um bispo, as mulheres eram cooperadoras ativas, enfim em Cristo as distinções de cor, etnia e posições sociais desapareciam e Cristo era tudo em todos.

O conforto oferecido pelas cidades romanas e a estabilidade de um titulo de cidadão romano, não comprava a cidadania e nacionalidade desses homens e mulheres comprometidos com outra pátria e outro reino, a saber o reino dos céus.

Mesmo perseguidos e muitas vezes tendo que se mudar constantemente de uma região para outra, fortalecendo assim sua condição de forasteiros, foram por toda a parte apregoando a poderosa mensagem do evangelho e causando um certo alvoroço, tanto nas autoridades como nos poderes religiosos constituídos de então.

Resistiram as arenas, aos leões, as insanidades de diversos imperadores, porque sabiam com uma certeza de fé incalculável que pertenciam a outro lugar, e sabiam que para se ter uma nacionalidade é preciso em muitos casos abrir mão de outra, sendo assim preferiram ficar com a nacionalidade celeste.

Os tempos mudaram, alguns se confundiram, o amor de outros foi se esfriando, a fé foi se sincretizando, e não por força ou imposição legal, mas por sedução muitos estão deixando sua nacionalidade celeste e adquirindo a mundana, com seus vícios e pecaminosidades. Mas ainda existem alguns que se alegram e se identificam quando escutam as verdades contidas em uma antiga perola da nossa hinologia que diz mais ou menos assim:

“Sou forasteiro aqui em terra estranha estou, do reino lá do céu embaixador eu sou..” Cantor Cristão Hino 207

Rodrigues&Carvalho

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Deus ainda restaura vidas.

 

Um pastor amigo meu, a uns anos atrás, foi cercado por alguns traficantes, que por certo o confundiram com outra pessoa, em uma das antigas favelas aqui de nossa cidade. No cerco a coisa ficou complicada, arma na cabeça, escopeta, fuzil imagine a cena. Mas enfim quando foi visto que ele não era o alvo foi enfim liberado. ( mas podia ter sido morto também !)

As vezes me preocupo com o nosso senso de justiça, como cristãos, tenho ouvido alguns hinos, se é que podem ser chamados de hinos, que vivem amaldiçoando os que nos perseguem, em uma clara contradição com as palavras de Jesus, cânticos com mensagens triunfalistas, até com um que de tripudiarão futura, um gosto exagerado por um tipo de justiça em seu favor, que não é justiça, mas vingança.

Também escuto, pois dizem que é melhor ouvir do que ser surdo. Alguns pregadores, falando sobre as justiças e vinganças de Deus sobre aqueles que nos perseguem e maltratam. Que Deus executa juízo isso é fato, mas como Cristãos somos chamados ao ministério da reconciliação e perdão, até mesmo das piores ofensas.

Não quero listar e nem entrar na discussão do tipo de ofensa, se terei perdão ou não e nem muito menos na gravidade de cada caso isolado.

Mas a minha vivência com Deus estes 39 anos me tem mostrado em tudo o amor de Deus até para com o mais vil de todos os homens, sendo verdade que muitos, não aceitam esse amor e infelizmente acabam perecendo.

A juízo reto quando executado, satisfaz os nossos desejos e sede de reparação, mas não o Deus, uma vez que Deus não tem prazer na morte do ímpio, antes quer que ele se converta.

Bom.. voltando ao caso do Pastor, os anos passaram, Este meu amigo Pastor é daqueles tipos raros que levam a mensagem salvadora do evangelho a todo o custo e seriedade e acreditam de verdade que Deus pode sim restaurar a vida humana. Alguém pode não entender este ministério mas o novo nascimento é algo real, e experimentado por muitos, antes deste novo nascimento, ocorre também uma morte do velho homem com todos os seus costumes e praticas, de modo com diz a escritura, quem está em Cristo é nova Criatura, e as coisas velhas ficaram para trás.

E quanto aos traficantes que quase mataram o Pastor?, afora outros crimes que devem ter cometido? Sei que muitos se incomodar, outros vão ver nisso a gloria de Deus, e outros vão zombar dizendo que não existe a justiça divina, a estes últimos, cuidado pois ela existe!

Quatro deles, eram seis ao todo, são Pastores hoje e estão ganhando almas na seara do Senhor, e outros dois são diáconos e também formaram uma dupla evangélica que canta e glorifica o nome do Salvador. E quanto ao Pastor ofendido e agredido nessa ocasião?, Ah.. Ele vive dando Glória a Jesus e dizendo que Jesus é Bom.

Para finalizar quero dizer que confio muito em nossas instituições de justiça, mas sei que justiça plena so pode vir de Deus, e sigo a minha vida confiante nos seus vereditos, mesmo que eu não os entenda.

Rodrigues&Carvalho

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Reflexões.

 

 

Cresci numa Igreja Pentecostal, ortodoxa e cheia de tradições. Os cultos eram especiais, a palavra pregada ia sempre de encontro as nossas necessidades, quer fosse para exortar, doutrinar, corrigir ou confortar. Os Pastores eram homens simples, com pouca ou nenhuma formação teologia, Mas eram pessoas que viviam a altura do que pregavam, exemplos a serem seguidos tanto na sua vida ministerial quanto particular.

Nessa Igreja em que cresci, muito em bora fosse bem tradicional, costume não era confundido com doutrina, o pastor apenas ensinava que o Cristão deve cultivar bons costumes em toda sua maneira de ser, mas também ensinava que em outros lugares, epocas e situações o bom costume poderia ter outro padrão e que o mais importante era a doutrina biblica.

Nossa Igreja crescia, todos os meses várias conversões, batismos tres a quatro vezes por ano.

Embora nossa Igreja fosse pentecostal, não havia meninices, nem muito menos demostrações exageradas de emocionalismo coletivo!

Fui crescendo…

Um belo dia me dei conta da existencia de um tal de pentecostalismo e neopentecostalismo, que eu nunca havia visto! No começo me deixei seduzir, frequentei algumas reuniões, alias nesses meios reunião é um nome muito mais bem aproapriado do que CULTO, haja vista que culto é o ato pelo qual reverenciamosa Deus, porém uma reunião pode apenas ser uma reunião…

Bençãos duvidosas, apelos emotivos visando ajuda financeira, pregadores que cobram altas somam para dar ministrar, pregando uma falsa doutrina, alheia ao verdadeiro evangelho! Homens que se auto intitulam Profetas, Apostolos e Patriarcas, que vendem um produto. Ao contrario dos pastores da igreja onde cresci, nunca vi esses tais em favelas, hospitais e bairros carentes, pregando não uma solução imediata, mas Jesus Cristo ao homem perdido. Procuram sempre os lugares de destaques e gostam de serem vistos cercados por autoridades, ricos e poderosos.

Voltando a minha Igreja antiga, Pentecostal, tradicional e ortodoxa. Ela ainda existe e meus antigos pastores antes leigos hoje com mais sabedoria, nos indicam livros de ministros batistas, presbiterianos e metodistas.Não abrem mão de crer na atualidade dos dons espirituais, mas tambem sabe m que existem um engano perigoso no Cristianismo, engano tal que tem desviado muitos do caminho da verdade.

Como disse um sábio pastor: Uma coisa é divergir entre um e outro ponto das escrituras, mas ter o coração sincero, outra coisa é fazer negocio da fé e ser um voraz mercador.

 

Rodrigues&Carvalho

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A IDOLATRIA GOSPEL

Não outros deuses.... exodo 20







O fenômeno gospel, não é mais novo, pelo menos não aqui em terras tuninquins. Existe um mercado lucrativo e bem explorado, com o que há de melhor em termos de marketing e publicidade.
Pode até ser sem conteúdo, ou mesmo ter um conteúdo doutrinário duvidoso, bíblico porque usa termos bíblicos, mas distorcido, porque não se preocupa com a doutrina bíblica em si.
E nesse amalgama vale tudo, principalmente quando o assunto é elevar a alta estima, vale dizer persigo os meus inimigos, e os venço, mesmo que isso seja oi propósito da atual dispensação.
Vale também o “fan club”, onde uma legião de fãs fieis seguem seus ídolos do universo gospel onde quer que forem.

Ainda dentro do assunto, esses dias ouvi uma boa palavra, dessas que nos fazem pensarmos, um pastor perguntava a sua igreja quem o conhecia, e muitos levaram a mão, perguntou de novo, que já tinha visto ou conhecia o líder regional, e foi assim falando de vários líderes de renome até que por fim chegou ao fundador.

As perguntas foram acompanhadas por outras, como por exemplo, quem já seus livros?

Umas mãos levantadas aqui, umas palmas ali, um amém do outro lado, e até um “gloria a Deus” parece que ecoou na multidão.

Por fim o pregador com ar de mais sério, perguntou: “e Jesus vocês conhecem bem?” Já o seu livro? Sabe com foi a sua história?  -

Silencio profundo, triste e verdadeiro!

A verdade é que as pessoas se empenham tanto em conhecer certos vultos do mundo gospel, mas conhecem Jesus tão pouco!

Passam tempo demais nos shows gospel, mas não suportam uma hora de oração!

A mulher Samaritana, sabia de alguma forma a tradição histórica acerca do poço de Jacó, sabia dos escritos messiânicos quem o Cristo viria. Mas não o reconheceu quando diante dele estava!

A idolatria gospel, tem afastado muitos cristãos de seus cultos com suas congregações, tem marcado lugares, multidões, tem ofuscado uma glória pertence somente a Deus.

Multidões tem sido atraídas, dinheiro tem sido ofertado, poucos tem se enriquecido materialmente e esses mesmo poucos são os responsáveis pela pobreza espiritual de outros tantos.

“““ “““ O GRANDE HOMEM DE DEUS”,” MELHOR BANDA GOSPEL” “A MELHOR IGREJA”, enfim o macro parece ser uma marca registrada deste tipo de idolatria.

Não faz muito tempo ouvi, um incauto dizendo que na Igreja dele, (A super Igreja) Eles não aceitavam “manes” na verdade usou um termo mais chulo destes que começa com B.. e acaba com ão...
Fico feliz, porque na dele não, mas na de Jesus que foi edificada sobre a Rocha, tendo por doutrina o ensino dos apóstolos, essa sim, aceita, fracos, oprimidos, cansados... entre outros.

Mas existe uma Igreja firme, fiel, santa e verdadeira, composta por fracos que confunde os fortes, por anônimos que nas suas orações, nos seus jejuns e vigílias, vencem barreiras e causam verdadeiros terremotos no mundo espiritual. Existe uma igreja que confunde os sábios e entendidos deste mundo. Uma Igreja que louva a Deus, de coração, em qualquer lugar, com multidão ou sem. Porque são os verdadeiros Adoradores!

Essa Igreja, não tem conluio com o pecado, pois sabe que nada interessa para Deus uma Igreja cheia de pecadores não arrependidos. Essa Igreja também quando se reúne em dois ou três, o próprio Cristo e não um ídolo gospel se faz presente, por isso essa Igreja treme e teme diante do seu nome.

Essa Igreja não está em lugar físico, não está restrita a uma denominação, ela é composta por diversos servos fieis de várias denominações, daqueles que se fazem fieis, mesmo quando sua denominação não o é. Pois não conhecem o homem, antes de tudo conhecem a Deus!

Essa Igreja é que vai passar uma eternidade ao lado de Deus.

Jogue fora seu ídolo gospel, e conheça a JESUS.

Rodrigues&Carvalho

sábado, 1 de setembro de 2012

O jeito Galileu de ser.



Uma coisa muito gostosa ocorre quando pessoas cristãs se juntam, quer seja para compartilharem suas experiencias, rirem juntas, "jogarem" um pouco de conversa fora, ou mesmo para falar de coisas espirituais.
Cristãos juntos, se forem de fato cristãos, sempre trazem em seu modo de vestir, falar, pensar e agir o jeito "galileu" de ser. 

Pedro andou alguns anos com Jesus e aprendeu suas palavras, seus jeitos e modos de forma tal que mesmo quando estava procurando se esconder  as pessoas lhe diziam, "tú és um deles!" 

Não é a toa que existe até mesmo um "dialeto evangélico" em nosso meio, as vezes é até um pouco engraçado, mas a parte de outras coisas, existe uma cultura evangélica , um modo de ser, que deixou de estar restrito apenas ao lugares de cultos e começou a fazer parte do nosso dia a dia .

Sempre que converso com o Thiago Rodrigues, nossas conversas semrpe acabam me redendo bons frutos, sempre minha mente foca em algo não focado, minha percepção fica aguçada, e claro, invarialvelmente procuro escrever o fruto de nossas conversas.

Thiago é um profissional na area da publicidade e  sendo assim o bom humor, a percepção e a critiatividade fazem parte do seu "modus vivendi". - Não preciso ir muito longe  para dizer que meu amigo é um brincalhão por natureza... e eu mais sério brinco pouco, etc, ou seja o oposto. 

Thiago é membro  atuante de uma igreja neopentecostal, digo neopentecostal porque a mesma não tem a doutrina de usos e costumes, mas deixo claro que também não tem em sua forma de pensar doutrinário os abusos teologicos de algumas vertentes do neopentecostalismo no Brasil, enfim uma igreja CRISTÃ.

Eu fui criado na doutrina das Assembléias de Deus, me sinto bem no meio dos usos e costumes me sinto identificado com o grupo, embora sei que isso não tem valor prático para salvação.

Enfim somos assim dois oposto, mas ao mesmo tempo somos "galileus", pois falamos como galileus! e nos vestimos, não digo da roupa visivel em si, mas da roupagem espiritual, como galileus!

Falamos muito sobre diversas coisas, mas sempre, sempre o tema cristão vem a tona! Em nossa última conversa falavamos sobre a semente, e que o segredo dela é apenas ter fé para planta-la! O resto é com Deus que dá o crescimento, Ele é quem manda a chuva, e quem aumenta a nossa propria sementeira.  Tirei várias conclusões neste dia,  até porque percebi o foco errado na minha pratica fisica, das coisas espirituais. Percebi que a preocupação com crescimento não é minha, não faz parte da minha alçada. A única coisa que devo fazer é simplesmente plantar, e isso embora seja feito com fé e pela fé, deve ser um ato de fé manifesto de forma fisica. Não tenho poder sobre a chuva serodia nem a temporã, que darão o devido crescimento ao fruto, mas tenho poder sobre a semente, podendo planta-la ou não. Quem olha pro tempo não semeia por sua fé se abala, quem espera tempo também não semeia, quem confia em Deus lança sua semente porque sabe que depois de muitos dias a achará!

Mas nossas conversas que são curtas e rapidas na mioria das vezez, redem outros bons frutos para minha edificação, alguns estão escritos nestes blog, outros estão fazendo parte da minha vida e ainda não encontrei as palavras certas para compartilha-los com meus leitores.

Sim conversas boas rendem bons frutos, e bons frutos cristãos geram edificação.


Rodrigues&Carvalho  







sábado, 21 de julho de 2012

O LEGADO

 

JONATHAN EDWARDS e o legado de um pai...

Por Rogério Strazzeri

Jonathan Edwards nasceu em 1703 em Windsor Connecticut. Ele era o único filho homem entre dez filhas, seu pai, Timothy Edwards era pastor, e sua mãe, Esther Stoddard era filha de Solomon Stoddard, um famoso reverendo da época.

Solomon Stoddard, avô de Edwards, era um Puritano em todo significado da palavra, foi o líder espiritual da cidade de Northampton, Massachusetts por 57 anos.

Dois anos antes de sua morte, seu neto Jonathan Edwards subiu de pastor assistente para pastor.

Jonathan Edwards aprendeu muito com o avô principalmente a importância de trabalhar duro e estudar bastante. Ainda bem novo, Edwards aprendeu a escrever. O pai dele lhe ensinou o latim e outros idiomas como grego e hebraico. Aos seis anos de idade ele já conseguia conjugar os verbos em latim.

O domínio destes idiomas lhe ajudaria depois a ser um perito em estudos da Bíblia Sagrada e um mensageiro poderoso da Palavra de Deus.

Aos 13 anos de idade, Jonathan Edwards entrou na Faculdade de Yale, e lá estudou teologia. E como aquele garoto amava estudar. Ele freqüentemente passava 14 horas por dia estudando sobre a Palavra de Deus.

Em 1720, Edwards se formou em Yale, como o primeiro de sua classe. E começou cedo na carreira pastoral. Edwards lutou para resgatar o significado de verdadeira revivificação cristã.

Sua geração foi a segunda geração dos Puritanos. A primeira geração tinha trabalhado duro e sido muito diligente para semear a semente do evangelho e fazer da América um lugar no alto da Colina, onde fossem resgatadas muitas vidas para o Senhor.

Mas agora, a segunda geração tinha perdido muito seu desejo espiritual. Eles tinham perdido a vontade e o zelo necessários para continuar a expansão do reino de Deus.

Assim Edwards começou uma de suas séries de sermões, com muita oração para acordar a congregação sonolenta que tinha se envolvido demais com seus próprios negócios e suas próprias vidas, deixando em segundo lugar a vontade de Deus, se preocupando mais com sua vida cotidiana do que com Cristo e seu reino. Em 1731, Edwards pregou a mensagem: " Deus se glorificou na dependência do homem.'' Nisto, ele atacou o liberal argumento, que pecado somente era uma condição de ignorância. Ele acreditava que o pecado humano
era uma inimizade inerente contra Deus e que a salvação significava uma mudança de coração.

Esta mensagem desafiou os cristãos a procurarem em seus corações seus mais íntimos pecados e se arrepender de cada um deles. Sem dúvida Edwards foi um grande homem de Deus que muito colaborou, direta e indiretamente, para o reavivamento bíblico, e para que hoje eu e você possamos conhecer a Palavras de Deus e seu significado.
Contudo, em nenhuma área Edwards foi mais bem sucedido do que em seu papel como pai. Edwards e sua esposa Sarah tiveram onze filhos. Apesar de um horário de trabalho rigoroso que incluía acordar às 4:30 da manhã ler e escrever em sua biblioteca, viagens extensas, e reuniões administrativas infinitas, ele fazia questão de dedicar muito de seu tempo aos seus filhos.

Apesar de sua vida agitada, Edwards se comprometeu a passar pelo menos uma hora por dia com eles, principalmente lhes ensinando princípios cristãos.

E se ele perdesse um dia porque estava viajando, acumularia essas horas e as passaria com os filhos quando voltasse.

Sem dúvida Edwards deixou um importante legado aos seus filhos, assim como seu avô havia deixado para seu pai, e seu pai deixará para ele.

O dicionário Aurélio nos diz que legado é um valor previamente determinado, ou objetos previamente individuados, que alguém deixa a outrem. E o principal legado que Edwards deixou a seus filhos foram seus princípios cristãos.

Recentemente, o estudante Benjamim B. Warfield de Princeton encontrou, depois de muitas pesquisas, 1.394 descendentes conhecidos de Edwards. E nessa pesquisa podemos constatar o maravilhoso legado que Edwards deixou aos seus descendentes através de sua vida cristã. Dos 1.394 descendentes de Edwards:

3 se tornaram presidentes de universidades,

3 senadores dos Estados Unidos

30 juizes

100 advogados

60 médicos

65 professores de universidades

75 oficiais de exército e marinha

100 pregadores e missionários

60 escritores de destaque

1 vice-presidente dos Estados Unidos

80 altos funcionários públicos,

250 formados em universidades, entre eles governadores de Estados e diplomatas enviados a outros países.

Os descendentes de Jonathan Edwards não custaram ao Estado um dólar.
Por outro lado, Benjamim B. Warfield também pesquisou a vida de Max Jukes, um famoso ateu, contemporâneo a Edwards, o qual freqüentemente atacava os discursos, a ideologia e as pregações de Edwards. Max Jukes, o ateu, viveu uma vida ímpia, casou-se com uma jovem ímpia, e também deixou um legado para seus descendentes, da descendência dessa união entre Jukes e sua esposa, pesquisada por Benjamim, constatou-se que de todos seus descendentes encontrados:
310 morreram como indigentes.

150 foram criminosos, sendo 78 assassinos

100 eram alcoólatras

Mais da metade das mulheres, prostitutas

Os 540 descendentes de Jukes custaram ao Estado 1.250.000 dólares.

A história de Jonathan Edwards é um exemplo do que alguns sociólogos chamam a "regra das cinco gerações." Como um pai cria seus filhos e o amor que eles dão, os valores que ensinam, o ambiente emocional que oferecem, a educação que provêem, não só influencia seus filhos, mas as quatro gerações seguintes. Em outras palavras, o que os pais fazem pelos seus filhos permanecerá pelas próximas cinco gerações.

O exemplo de Jonathan Edwards nos mostra a importância de deixarmos esse legado cristão aos nossos filhos.

Mas a teoria das cinco gerações trabalha de ambos os modos. Se não nos esforçarmos para sermos bons pais e transmitirmos princípios cristãos, nossa negligência pode infestar gerações. Considere o caso de Max Jukes.

Max Jukes teve problemas com a bebida, que o impediu de manter um trabalho fixo. Também o impediu de demonstrar muita preocupação pela esposa e os filhos.

Claro que isto não significa que as pessoas simplesmente são um produto direto de seus pais, ou que seu futuro está determinado pela sua descendência.

Houve muitos que descenderam de homens como Jukes e superaram grandes obstáculos para ter sucesso. Outros só vieram de casas amorosas como Edwards e causaram grandes problemas. Mas estas são as exceções, não a regra.

As histórias de Jonathan Edwards e Max Jukes oferecem lições poderosas sobre o legado que nós deixaremos como pais. Daqui a cinco gerações é bem provável que as nossas realizações profissionais serão esquecidas. Na realidade, nossos descendentes podem pouco saber sobre nós ou nossas vidas.
Mas o modo como somos pais hoje e princípios que transmitimos afetarão diretamente não só nossos filhos, mas também nossos netos, bisnetos e as gerações que se seguem.

Como dizia Edwards: Deus fez todas as coisas com um propósito, e Deus também tem um propósito para todos nós, Nenhum homem vive em vão, todos nós deixaremos um legado. Qual será o seu?

"Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor, que em seus mandamentos tem grande prazer... Sua descendência será poderosa na terra; a geração dos justos será abençoada". (Salmos 112.1-2)

Precisamos que governantes que temam a Deus?

Sim, claro que precisamos de governantes que temam a Deus, porém isso não é um fim em si mesmo.

De novo estamos a volta com a eleições nas esferas municipais, e de novo como tem vem se repetindo ao longo dos anos, veremos outra vez, o surgimento de vários candidatos, que professam a fé crista, procurando com isso, e muita vezes infelizmente apenas com isso, destituídos de proposta e projetos políticos concretos, convencer os eleitores,  de que são merecedores do voto de cada cristão. De novo alguns textos bíblicos serão lidos fora do seu contexto, época e proposito, para evocar a responsabilidade de cada cristão em votar em um candidato de sua “fé”.

Um verdadeiro peso é colocado sobre os irmãos, alguns chegarão ao absurdo de dizer que se não colocarmos esses candidatos nos seus respectivos lugares, somos os culpados se depois um candidato movido pelo Diabo, nos impor suas leis, regras, etc.…

É importante dizer aqui, que não sou contra o direito legitimo de cada um de se candidatar, ganhar as eleições e exercer seu mandato, de acordo coma legislação vigente no país. Também não sou contra que as agremiações religiosas, se preocupem com isso, e queiram colocar alguém, que as representem. Muito embora fico receoso quando um politico ou grupo de politico está para defender os interesses de um certo grupo e não da população em geral.

 

Alguns entendimentos se fazem  necessários nessa época para que abusos não sejam cometidos em nome da fé.

 

Muitos apelam para o velho testamento, com os exemplos da Nação de Israel e posteriormente o reino de Judá, esquecem-se todavia que hoje nós cristãos não constituímos um reino físico terreno, mas antes na atual dispensação, somos como que peregrinos e forasteiros, vivendo em mundo realmente alheio á nossa fé e costumes, e o que espera um forasteiro? Alguns fixar residência e ser como um natural da terra. Outros esperam a  oportunidade de voltar para sua verdadeira pátria, cultivam seus costumes, suas bandeiras e seu modo de ser. Fica uma pergunta que tipo de forasteiros somos nós?

 

Outros ainda apelando, para o velho testamento citam com frequência, as biografias bíblicas, de Moises, José, Daniel, Mardoqueu, Neemias… que atuaram de forma politica em sua época. O único detalhe que se esquecem é que nenhum deles foi colocada nas suas posições através do sufrágio universal, e sim por uma Soberana Vontade de Deus, esquecem-se também que estes foram levantados em momentos de Crise, momentos de destruição da Nação Israelita como o povo da promessa, momentos em que essa nação por causa do pecado estava preste a aniquilação e que o proposito das suas atuações era para Israel pudesse ser constituído e uma vez assim voltasse como nação a ser o povo da promessa. Mesmo no caso de José o proposito foi Israel. Muito embora podemos perceber que nesses processos bençoas eram geradas para outras nações.

Alguém vai me dizer acerca de José de Arrematei-a que reclamou o corpo de Cristo, ao governador romano, mas não se esqueça quem assim pensa que José de Ar matéria agiu no tempo da profecia, sendo um instrumento de Deus, separado na eternidade para essa ocasião, pois a profecia dizia que Cristo seria sepultado com os ricos…

 

Mas e quanto ao governantes que não são cristão? As teorias da conspiração chegaram até a Igreja e a tem influenciado infelizmente.

O TODO PODEROSO, ri, desses governantes, são reputados como nada, como gota em um balde de água, como pó úmido das balanças! Nenhum poder teriam se do alto não fosse concedido! Deus é quem na sua sabedoria de agir, estabelece reis e remove reis, não sou e nem você, como toda a nossa força e voto quem fazemos isso!

 

A igreja foi se esquecendo da sua missão enigmática,  de proclamar as verdades de Cristo, esqueceu-se de que é a embaixadora de Cristo na terra, esqueceu-se de que somos uma PAROKIA, composta por paroikos ( estrangeiros em gr.) e que estamos aqui com uma missão que é anunciar as verdades daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa LUZ!

A igreja esqueceu-se que as grandes batalhas deste mundo se vencem não com as armas naturais, matérias e humanas , mas antes de tudo com as armas espirituais, e que o uso destas armas requer regras no combate, e que na transformação dos poderes políticos, a maior de todas as armas é oração pelas autoridades constituídas.

Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças por todos os homens, pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e sossegada, em toda a piedade e honestidade. Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade

I Timóteo 2:1-4

 

Seja cidadão, exerça seus direitos, se candidate, vote,seja votado, exerça o mandato… faça para glória de Deus. Se tiver uma proposta de Governo condizente, meu voto será seu. Mas não me venha com essas falácia de dizer que se for ao contrário ao estarei contribuindo para o império do mal em minha nação, estado ou município. É Deus quem amolece o coração do Rei … e são as nossas orações que movem o coração de Deus! Se meu candidato evangélico não ganhar ficarei triste sim, gostaria de vê-ló atuando colocando suas propostas em pratica ( pronto já disse que meu candidato é evangélico) Mas se ele não ganhar, não vou ficar culpando os irmãos que não votaram, Antes vou continuar tramando em segredo usando o maior poder que Deus nos tem dado que é o dá oração!

A cortina de ferro caiu, muitos sociólogos, e cientistas políticos, falam e teorizam sobre esse assunto. Do outro lado eu sei que muitos cristãos sinceros ao redor do Mundo, estavam orando por este acontecimento, sendo que eu mesmo fazia parte deste Grupo. A cortina de areia também cairá…

O mundo com seu sistema de coisas esta morto no maligno. Mas este mesmo mundo ainda continua sendo possessão de Deus, a Igreja existe para mudar esse mundo, através de diversas ações anunciando o REINO.

Será que que nossas candidatos podem deixar as agitações da politicas por 1 hora e ir pro getsemani? – por apenas 1 hora!

 

Rodryguez&Carvalho

sexta-feira, 6 de julho de 2012

A loucura da nossa pregação!

O cristianismo estava apenas começando e o evangelho com sua verdades que não eram relativas, já causava um certo incomodo em muitos que o ouviam.

Uma loucura para os gregos, um escândalo para os Judeus!  -

Os gregos tidos por sábios em sua época, achavam um tanto controvertida a doutrina da ressureição.

Os judeus religiosos como eram, tinham por escândalo o ministério do Deus que se fez carne e habitou entre os homens.

 

Existe uma tendência em nossa época de colocar como relativa as verdades bíblicas, uma forma perniciosa de tentar explicar o inexplicável, afim de atenua-lo, de deixar a loucura do evangelho com aparência de sabedoria. – 

Não estou com vontade neste momento de discorrer sobre essas vãs tentativas, mas quero fazer uma confissão da minha loucura, nos seguintes termos:

 

Creio que a Divindade na pessoa de Cristo se fez homem e habitou entre nós…

Creio que mesmo sendo Deus, foi crucificado pelos homens.

Creio que depois de três dias morto, foi ressuscitado!

Creio que depois disso, passado algum tempo foi elevado aos céus na presença dos seus discípulos, que após terem recebido o Espirito Santo, e parecem loucos e embriagados, saíram pelo mundo conhecido deles, anunciando a loucura da pregação….

Trono, céus, anjos, Deus, Trindade…

Eternidade…

O evangelho só vale a pena se for levado a sério, por mais loucura que isso pareça, existe sim um Deus, que se importa com os homens, se importa tanto que fez a loucura de entregar o seu único filho!

O evangelho só vale a pena se for para ser vivido na sua integralidade, sem reservas, mesmo que para isso tenhamos que fazer a escolha de deixar pai e mãe, caso eles nos impeçam de Servir a Jesus.

O evangelho só vale a pena, para quem tem a louca esperança de um dia Reinar com Cristo no seu Reino.

É loucura, eu sei… mas o evangelho salva o pior e mais pecador de todos os homens!

É loucura, eu sei … mas quem negar a mensagem do evangelho, mesmo que seja um bom homem, certamente perecerá!

 

É loucura dizer, que um sábio poderá errar o caminho…

Mais louco ainda é dizer : “ Existe um caminho que nem os loucos errarão”! ( Isaias 35.8)

 

Rodriguez&Carvalho.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

De Paulo, de Pedro, Apolo ou Cristo?

 

Os grupos sociais, são iguais em qualquer lugar, dentro da Igreja , fora de dela, na escola, no trabalho e por ai vai. Picuinhas, panelinhas, exclusivismos, corporativismo são características marcantes no mais diversos grupos sociais.

A Igreja estava ainda nascendo, e já tinham aqueles que se intitulavam de Apolo, Pedro, Paulo, Cristo.

Sempre dentro do grupo tem alguém insatisfeito, sempre teremos problemas de relacionamentos.

Mas a Igreja é mais quem um agrupamento social, é mais que um movimento religioso na sociedade. A Igreja é o corpo de Cristo, onde as todos os membros trabalhando de forma ajustada, cada qual em seu lugar, vai dando movimento e crescimento a esse corpo.

Saber disso é fácil, praticar que é complicado. A unidade deve ser mantida com vínculos de paz e amor.

Esses dias um dos grupos de nossas Igrejas estava em aparente crise, e precisou de uma intervenção de nosso pastor para mediar e por rumo nas coisas. Ele começou sua fala com a seguinte frase: “ Eu já sei o que aconteceu… O que aconteceu foi que cristo morreu por nós a dois mil anos atrás, é por isso que estamos hoje aqui, e é por esse motivo que superamos as dificuldades e vamos para frente fazer a sua obra”.

E o trabalho assim prosseguiu, este mesmo dia do culto de missões, e noite o culto estava maravilhoso, cada departamento, apresentando o seu melhor.

O pregador em uma das suas falas, defendendo a missão que temos de pregar o evangelho, disse algo que me marcou : “Quando penso onde eu estava, e considero onde eu estou hoje, me sinto cada vez mais na obrigação de pregar o evangelho”

Mas uma vez minha mente, foi relembrada deste grande evento divisor da historia que foi a morte de Jesus, sua missão e os benefícios da salvação. O milagre de poder unir em um só corpo pessoas tão diferentes entre si, de culturas diferentes, falas diferentes, etnias diversas e fazer um só em Cristo.

A diversidade existe é verdade, diversidade nas operações e ministérios, porém outra diversidade que seja maligna e gere contenda essa não pode ter lugar.

Nos relacionamentos sócias humanos, em seus pequenos grupos as pessoas lutas para serem melhores do que as outras, para tomar uma posição de comando, vaidade do ego. No corpo de Cristo, o lugar da cabeça já esta preenchido!  E quem quiser ser o maior que sirva!

Fiquei feliz, com a sabedoria de nosso Pastor ao lidar com a situação, feliz ao ver que todos chegaram a um consenso e de mãos dadas estão fazendo a obra do mestre.

Rodriguez&Carvalho

Uma linda mulher!

Em tempos da ditadura da beleza, em que algumas marcas, associadas a um forte apelo midiático acabam formando uma opinião sobre a bel...