sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Vida intima com Deus

Já compartilhei com meus amigos que nasci em um lar Assembleiano bem tradicional, e que meu avô foi pregador leigo Batista, ajudando a abrir algumas Igrejas no interior de Pernambuco.´Algumas coisas eram cultivadas em casa  uma delas era o culto domestico, papai trabalhava de dia e minha mãe nos reunia todos os dias à tarde, eu e meu irmão para orarmos, lermos a bíblia e louvarmos ao Senhor, ora com um hino do cantor Cristão, herança do meu avô, ora com os hinos da harpa Crista, e também alguns hinos avulsos.

Pode parecer até engraçado, mas meu tio quando seus filhos o desobedeciam, eles os corrigia com a leitura de um texto bíblico e o castigo deles era decorar algum salmo, acreditava ele que assim a palavra de Deus iria se enraizando em suas mentes, pois de acordo com meu tio tudo o que  faltava no homem, criança ou adulto era o temor a Deus e a sua palavra.

Aos 9 anos  ganhei um novo testamento da minha tia, e o devorei, lembro que comecei na primeira frase de Mateus e fui lendo e em pouco mais de um mês eu havia lido o novo testamento.Verdade que eu não entendia muita coisa, mas tinha e tenho ainda gravado em minha mente várias passagens bíblicas. Aos 12 anos desafiado pela escola bíblica dominical li  a bíblica completa.

Mas o que mais me marcou desse período eram as orações, quer fossem em casa, na casa do meu avó ou na Igreja. Meu Pastor, resolveu abri um dia só para as orações com as crianças e um obreiro que nos conduzia, lembro que oravamos até nossos joelhos doerem! Isso sem falar de outros trabalhos como evangelização, me lembro que uma vez fui ameaçado por marginais, eu tinha 12 anos, eles tomaram meus folhetos e rasgaram. Não fiquei com medo, pelo contrario nessa idade eu já tinha noção dos valores espirituais e tinha a convicção que morrer era estar com Cristo.

Cresci, passei por vários percalços no caminho, mas a fé que foi ensinada foi o que me manteve de pé.

Me preocupo quando vejo, cristãos que não oram, não consagram suas vidas, vivem uma vida ritualística entre idas e vindas pro culto, e muitos trocaram os valores como jejum e oração pelos movimentos gospel.

Não sou saudosista e nem estou falando que minha geração é melhor que a nova geração, até mesmo porque ainda existem muitos que levam a sério os valores espirituais. Mas o perigo existe e ele é real, muitos deixaram de ser crentes de pratica, de modo de vida, e passaram a ser apenas membros arrolados em alguma Igreja.

Mas Deus tem seus planos, e nunca deixará que a Igreja por ele comprada venha a se desintegrar.Tem alguns meninos na Igreja que sempre os observo, tem muitos que oram, outros que são assíduos nos trabalhos e dão testemunho Cristão, fico pensando como devem parecer alienígenas tanto para os de fora como para os de dentro.

Ouvi uma Pedagoga, falando sobre a forma de aprendizado do ser humano e em especial das crianças, discorrendo sobre as sinapses nos neurônios etc. Ela disse algo que me chamou a atenção, que a criança tem grande capacidade de assimilar o que os adultos fazem, começam imitando e logo estão agindo de forma similar. Um dos meus sobrinhos sempre que tem medo de algo, ou se assusta corre para o quarto, ajoelha e ora, ele tem apenas 7 anos e já faz isso desde os cinco anos! Exagero? Não! Temor a Deus, isso sim.

Engraçado, as vezes escuto umas coisas e me pego dando risadas sozinho, é um habito  feio que eu tenho"! Ouvi um pregador esses dias falando sobre mover montanhas, expulsar demônios, ser vitorioso, usou várias frases de efeito, parecia até o super homem, mas não ousou falar sobre a oração e jejum!

Que todos nós possamos descobrir o valor da oração, deste contato intimo com Deus, e mesmo que seja na agonia do Getsamani, possamos vigiar em oração.

Orai sem cessar!

 

Rodryguez&Carvalho

Nenhum comentário:

Chega!

São dois mil anos de história da Igreja, uma historia que começou por volta do ano 33, uma historia gloriosa, de lutas, perseguições, da...