segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Não Amei o Mundo

“Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Tg 4.4

 

 

Lendo a história da Igreja, pesquisando aqui e ali, fica fácil de perceber como que certas festas e culturas pagãs foram se enraizando e sincretizando no cristianismo, reduzindo a sua mensagem de mudança de vida e o enfraquecendo.

Não é sem motivo que no seu grande momento histórico em termos de quantidade de reinos cristãos na Europa a mesma se encontrasse em trevas espirituais e materiais.

A tendência da mistura sempre existiu, dede que a massa do cristianismo foi lançada, o fermento ou do farisaísmo ou do paganismo sempre rodeou a Igreja. Paulo já se esforçava em escrever aos cristãos de Corinto, sobre a participação e comunhão nas festas pagãs, Pedro insistiu advertindo os cristãos que eram peregrinos e forasteiros, e Joao exorta a Igreja e diz que quem ama o mundo o amor do Pai não está nele, e Thiago diz que, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.

Lendo os escritos desses apóstolos percebo que a significativa parte dos cristãos ainda não entendiam a sua vocação no evangelho, sua chamada para santificação  e nem muito menos a realidade da vida eterna.

O mundo grego-romano com seus deuses, festas e luxurias deveria ser negado. O império das trevas não poderia de forma alguma exercer influencia sobre os filhos da luz. Uma vida recatada, santa e exemplar era o objetivo em vida, daqueles que foram tirados dos reino das trevas e trazidos para a maravilhosa luz.

A igreja não deveria nem ao menos fazer paralelos, simplesmente negava o mundo e sua forma de ser, não deveria seguir o seu curso.

Medidas e atitudes assim são sempre impopulares. já ouvi certas lideranças dizendo que se apertarem na doutrina bíblica, o povo vai esvaziar a igreja então é melhor deixar o “ Espirito Santo” agir! Mas como alguém crerá se há quem pregue? Não o Líder responsável pelo alimento espiritual do seu rebanho? Ou preocupa-se apenas com a lã?

Laodicéia  foi a igreja que casou com o mundo em todos os sentidos, a cultura mundana foi tão forte que influenciou o pensamento dos cristãos laodicenses, resultado disso, achavam-se ricos, eram pobres. Achavam-se curados demais, eram cegos, miseráveis  achavam-se vestidos e diante de Cristos estavam nus. Pior essa igreja tinha colocado Cristo para fora se suas portas, de modo que Ele clamava: “eis que estou a porta e bato”.

Estes dias li a biografia de Moody,  enquanto Moody se esforçava para pregar o evangelho, outro grupo acreditando que teria mais êxito promovia jogos de baralho e xadrez com a intenção de “atrair” mais jovens a Cristo! A historia está ai e nos provar qual foi o método que prevaleceu, se a pregação de Moody, com seus apelos a mudança de vida radical, ou o evangelho adulterado de outros. Moody influenciou sua geração, marcou seu tempo e ganhou almas para Cristo, os outros apenas trouxeram uma inovação que com o tempo se mostrou daninha e sem frutos verdadeiros.

Ao futuro morador da cidade celestial, requer que ele se porte como o tal, vivem do nesse mundo como se não vivesse nele, não se deixando influenciar por nada nem se seduzindo os manjares babilônicos, mas a semelhança de Daniel e seus amigos, em tudo se guardando sempre olhando para a Jerusalém celestial, pois a nossa cidade está nós céus.

 

Rodrigues&Carvalho

2 comentários:

CORAÇÃO QUE PULSA disse...

"Daninha, e SEM frutos VERDADEIROS."

Muito bom.
Um abraço. Fica com DEUS.

CORAÇÃO QUE PULSA disse...

DIDAQUE....
OBRIGADA por sua visita...

Volto a comentar:
IGREJA...MUNDO....tá TUDO MISTURADO.
Só JESUS com AUTORIDADE e PODER...pode TRANSFORMAR.
É JOIO misturado com o TRIGO.
LOBO e OVELHA.
RAPOZINHAS espalhadas...
Que DEUS, cuide de nós e nos faça ver e reconhecer a DIFERENÇA.
Um grande abraço.
Fica com DEUS...sempre.

Respondi, seu comentário lá.

Chega!

São dois mil anos de história da Igreja, uma historia que começou por volta do ano 33, uma historia gloriosa, de lutas, perseguições, da...